sábado, 21 de dezembro de 2013

Os 12 Pratos da Ceia de Natal Polaca


A Ceia de Natal é a celebração mais importante do ano para o povo polaco.

Embora esta refeição seja reservada para os mais próximos da família, costuma-se deixar uma cadeira vazia para um convidado inesperado ou mesmo um vagabundo.

A maioria dos pratos servidos são cozidos especificamente neste dia - e apenas uma vez por ano!

Este costume de véspera de Natal é guiado por tradição e não só por fé.  Assim católicos de famílias conservadoras, de famílias modernas e até por ateus comemoram a data com esta cozinha tradicional.

Não é permitido carne. No cardápio natalino estão apenas produtos tradicionais e sazonais disponíveis no inverno.

Estas tradições polacas da vigília natalina, incluindo a culinária, são uma combinação de costumes pagãos antigos com os religiosos introduzidos pela Igreja Católica, junto às tradições locais e várias culturas folclóricas.

O jantar, que tradicionalmente inclui doze pratos e sobremesas, pode durar por várias horas.

Normalmente, a Ceia de Natal começa quando a primeira estrela aparece no céu, ou seja, começa logo que escurece (nesta época às quatro da tarde já é noite) e prolonga-se até mais ou menos às onze da noite.

Antes de saírem para a igreja para orarem na Missa do Galo, algumas famílias que não fizeram as trocas de presentes no dia de São Nicolau, 6 de dezembro, aproveitam para a última troca de presentes.

Às vezes, os menus da ceia refletem aspectos multiculturais, como judeus, polacos, lituanos, alemães e outras minorias que conviveram juntas no passado multinacional polaco.

Antes de sentarem-se para comer, nada pode ser consumido até que todos os membros da família têm quebrado seus pedaços de óstia (Opłatek - pronuncia-se ópuáték) oferecidas um a um por todos e tenham feitos votos de boa saúde e prosperidade.

Durante a refeição, todos os hóspedes devem provar um pouco de tudo.

De acordo com as tradições, pedaços de feno estão espalhados por baixo da toalha de mesa como um lembrete de que Cristo nasceu em uma manjedoura.

Por que os polacos se servem de DOZE PRATOS na Ceia de Natal?



A tradição pede que doze alimentos tradicionais diferentes sejam servido durante a véspera de Natal polaco. Este número é o símbolo da riqueza, mas também o número doze de Apóstolos e representa ainda os doze meses do ano.

Embora no passado pagão, o jantar consistisse de um número ímpar de pratos. A preparação dos pratos tradicionais demanda um bom tempo.

Muitos restaurantes e lojas oferecem produtos prontos atualmente, mas os polacos ainda preferem cozinhar as receitas tradicionais da família, que segundo eles, possuem sempre um gosto melhor.

Alguns pratos específicos podem ser diferentes em função das  diferentes regiões do país, mas muitos deles são comuns à toda nação.

CONSOMÊ DE BETERRABA
"barszcz czerwone" com pasteizinhos em formato de orelha (Uszka)


A Ceia de Natal muitas vezes começa com um consomê (sopa rala) de beterraba vermelha - provavelmente a sopa mais popular para esse dia.

A versão natalina do barszcz varia de preparo, mas requer um pouco de leite azedo ("zakwas" - ou fermento), que deve ser preparada com alguns dias de antecedência.

Trata-se de beterraba crua, descascada e cortada em fatias, fermentadas, durante quatro a cinco dias, em água pré-fervida e gelada, com ou sem alho. Em seguida, é misturado, tanto com um caldo feitos a partir de cogumelos selvagens secos e um caldo de legumes.

Este barszcz tradicional de Natal geralmente é servido com pequenos bolinhos recheados com uma mistura de cogumelos porcini secos embebidos e cebola frita. Estes bolinhos ou pasteizinhos são chamados de "uszka", que significa "pequenas orelhas" em polaco.

O Barszcz é tradicionalmente servido no sul do país, particularmente na região de Podhale, perto das montanhas Tatras.
As "uszka" podem substituídas por grandes feijões brancos.

SOPA DE COGUMELOS NATALINA


Esta sopa que também é servido com muita frequência na Ceia de Natal é feita com cogumelos secos colhidos nos bosques e florestas polacas (os melhores são os borowników - semelhantes aos porcini italiano). E portanto, não são cultivados, mas nascem por contra própria.

O sabor de cogumelos secos florestais faz parte da herança culinária polaca. Esta deliciosa sopa geralmente vem com macarrãozinhos quadrados ou finos.

Outras sopas tradicionais da Ceia Natalina são a sopa de peixe de água doce (por exemplo, carpa), barszcz branco, sopa centeio azedo ou sopa de amêndoa.

CARPA NA VIGÍLIA NATALINA


A tradição da criação de carpas na Polônia é de pelo menos 700 anos. No entanto, tornou-se uma parte proeminente nas tradições culinárias polacas apenas após a Segunda Guerra Mundial.


A carpa é mais popular do que os peixes nobres como lixadeira (sander - um peixe russo), enguia ou lúcio. Atualmente a carpa da Ceia de Natal tem muitas variedades.

Os polacos desenvolveram espécies de carpas (por exemplo, Karp Zatorski), que são certificadas como produtos regionais de boa qualidade.

A carpa da vigília natalina é muitas vezes acompanhada de repolho azedo quente com cogumelos secos, uma salada de legumes ou batatas.

Existem inúmeras receitas locais, antigas e interessantes, incluindo a carpa com molho de cinza, carpa com cogumelos secos e creme ou recheado com salsa.

CARPA NO ESTILO JUDAICO


À moda da região da Małopolska (Voivodia da Pequena Polônia, cuja capital é Cracóvia).

Muitas famílias continuam a tradição de preparar a carpa no "modo judeu" para a ceia de Natal. No passado, esta era uma refeição tradicional dos judeus Ashkenazi que viviam na Europa Centro-Oriental.

Pedaços de peixe são cozidos lentamente em um caldo de peixe. É servida em com uma geléia natural de cebola, amêndoas, passas e pão macio.

ARENQUES (Śledzie)


Os arenques são muito populares na Polônia, em qualquer época do ano, e eles também são servidos no Natal.

Os polacos em países escandinavos e bálticos sabem como preparar este peixe saudável e tão polaco como o "herring" sueco. Há bastante variedade de receitas de arenques.

As preparações mais populares são os filetes clássicos ("Matjes") com óleo (os melhores são em óleo de linhaça), ou com creme de leite azedo, raiz forte, maçãs, cebolas picadas. Geralmente é servido com salada de legumes ou batatas.

PIEROGI


A iguaria polaca mais conhecida no exterior. A versão de Natal é aquela em que os pasteIzinhos são recheados com repolho e cogumelos secos da floresta secas, também chamados pelos italianos de funghi porcini.

Variedades regionais são bem interessantes - principalmente provenientes dos territórios orientais - como os pierogi doces recheado com ameixas secas ou defumadas, ou ainda com sementes de papoula.

KISZONA KAPUSTA
repolho azedo refogado


A vigília natalina cheira predominantemente como o aroma do repolho azedo, ou chucrute alemão.

A Kiszona kapusta sempre existiu na dieta polaca e é um dos preparos alimentares mais populares e reconhecidos da culinária polaca.

Quase todo mundo refoga o repolho azedo ou como recheio para pierogi ou ainda com um prato decorado com cogumelos secos da floresta, ou com feijões brancos. Alguns polacos também adicionam à gosto passas embebidas em licores.

CHARUTO DE REPOLHO
Gołąbki


O charuto de repolho é uma das iguarias mais consumidas durante todo o ano na Polônia.

Na culinária diária é geralmente recheado com carne, mas muda seu "jeitão" no Natal.

Nas casas onde são servidos na noite natalina, o recheio é vegetariano e contém cereais (trigo, cevada pérola ou arroz) e cogumelos secos da floresta (não cultivados, colhidos a esmo nos bosques e florestas polacas).

Não se sabe com certeza a origem do charuto se polaco, ou árabe. Enquanto na tradição polaca ele é preparado com folhas de repolho, entre os árabes e gregos, é mais comum o preparado com folhas de uva.

KUTIA


A kutia é uma sobremesa antiga, com origem na Europa do Leste e feita exclusivamente para a ceia de Natal.

Hoje, ainda é servido em muitos lares, onde as famílias têm algumas raízes na parte oriental da antiga Polônia.

É uma mistura de grãos não processados​​, cozidos de trigo, sementes de papoula cozidas, mel, frutas secas ou cristalizadas embebidas em uma pequena quantidade de vinho tinto doce e várias porções de amêndoas, grãos de girassol ou nozes.

No passado a kutia não só tinha um significado culinária, mas estava ligado também à crenças religiosas.

O VELHO PIERNIK POLACO


A bolo assado de gengibre - Piernik - na Polônia é uma tradição de várias centenas de anos.  O bolo de Toruń - a cidade de Nicolau Copérnico - já era conhecido no século 17.

A cozinha polaca antiga era cheia de especiarias exóticas, incluindo gengibre, canela e noz-moscada. O tradicional velho "piernik" polaco que ainda é preparado em muitos lares requer muito tempo e cuidado.

A massa é composta de mel, banha, açúcar, ovos, farinha e uma mistura de especiarias de gengibre. Deve ser feito com semanas de antecedência para amadurecer e ganhar o gosto muito especial do gengibre.

Em seguida, é preciso cortá-lo ao longo e comido com camadas de conservas de ameixa tradicionais ("powidła").

Ele permanece fresco durante um longo período de tempo. Os polacos também assam um monte de biscoitos de gengibre pequenos e além de comer servem como decoração da árvore de Natal.

COMPOTA DE FRUTAS SECAS
Kompot z suszu


Os polacos amam frutas secas e defumadas, especialmente são usadas em pratos natalinos. A compota é uma bebida popular e tradicional servida no final da noite de Natal.

É feito de frutas secas e defumadas cozidas, normalmente ameixas, maçãs, pêras, uvas passas e damascos. Sua finalidade mais apreciada é a acelerar a digestão.

BOLO COM RECHEIO DE SEMENTE DE PAPOULA 
Makowiec


Este pequena grão preto simboliza prosperidade e deve ser incluído no menu da ceia de natal.

Os bolos de semente de papoula são apreciados pelos polacos durante todo o ano, mas o bolo de semente de papoula natalino tradicional é um pouco diferente - as camadas da massa devem ser mais finas e as camadas do creme de semente de papoula doce devem ser mais grossas.

Em algumas regiões, são feitas algumas outras sobremesas com sementes de papoula para a véspera de Natal.

"Makówki", é uma tradicional sobremesa à base de semente de papoula, e chega a ser uma obrigação na Silésia, bem como o "makiełki", pão embebido em leite ou água, servido com frutas secas e mel, e uma compota de frutas secas.

Autor do texto: Magdalena Kasprzyk - Chevriaux, dezembro 2013
Fonte: original transcrito e traduzido do site culture.pl
Tradutor: Ulisses Iarochinski

P.S. E para beber?
Wódka...chá, cerveja e sucos.
Postar um comentário