sábado, 5 de setembro de 2015

Nomes polacos tradicionais - grafia e significado


Mieszko I
Assim como as fronteiras do território, também os nomes, na Polônia, foram mudando ao longo do curso da história.
Os polacos são os descendentes modernos de tribos eslavas ocidentais. Assim seus nomes originais também eram nomes eslavos.
Parte destes antigos nomes eram ditemáticos, ou seja, eram nomes compostos de dois lexemas como, por exemplo: -sław, ou -mir, de Sławomir. Diz a lenda que seu portador cumpria a profecia de seu significado ...
Bolesław I Chrobry - Boleslau I o Bravo (primeiro rei coroado da Polônia)
No entanto, após o Concílio de Trento da Igreja Católica Apostólica Romana entre 1545-1563, foi imposta a proibição de se continuar a dar nomes dos pagãos para os recém-nascidos. No caso da Polônia, a maioria de seus nomes eram originalmente de tribos eslavas e, portanto, tornaram-se extremamente raros ou foram extintos pela proibição católica.

Apenas alguns nomes eslavos originais permaneceram em uso, destacadamente Kazimierz, Stanisław e Wojciech (pronuncia-se cajimiéj, stanissúaf e voitchiérrrhhh ) e isto por terem se tornado nomes de santos, consagrados pela própria igreja católica.
Alguns daqueles nomes polacos eslavos proibidos na idade média foram ressuscitados mais tarde, já no século 19, quando a Polônia foi varrida do mapa e redistribuída entre poderosos vizinhos invasores e ocupantes. Como uma manifestação do espírito patriótico, os polacos decidiram reavivar os antigos nomes polacos eslavos.

Neste texto, far-se-á a descrição desses nomes polacos eslavos, seguido de uma visão geral de nomes próprios de origem estrangeira que foram introduzidos na cultura polaca e que foram, com o passar do tempo, polonizados, bem como um levantamento de como tendências atuais estão se desenvolvendo.

Nomes de origem eslava


Kazimierz III Wielki - Casimiro III o Grande

Alguns nomes eslavos ainda em uso nos dias de hoje, como Sławomir, Mirosław, Bronisław ou Kazimierz (pronunciam-se suavomir, mirossuaf, bronissuaf ou cajimiéj) possuem significados heróicos.
Eles combinam lexemas como sław (glória, fama), mir (respeito, paz), broń- (defesa), e kazi- (destruir).
Outros nomes eslavos populares, como Bogumił ou Bogdan (pronuncia-se bógumiu ou bógdan), contem a raiz "Bóg / bog" (Deus) e são considerados nomes teofóricos - práticas de nomenclatura semelhantes são encontrados em praticamente todas as línguas - ainda assim, um grande número de nomes eslavos desapareceram para o "bem" da cristianização.
Nomes como Mściwoj, Świętobor, Racimir, Chwalimir, Trzebiesław (pronuncia-se mchitchivoi, chivientobor, ratchimir, rrhhvalimir, tjebiessuaf) são bem mais prováveis ​​de serem encontrados em livros de literatura, história e didáticos do que nas ruas das cidades polacas hoje em dia.

Definições

A seguir um apanhado de nomes polacos eslavos, ainda em uso atualmente, com seus respectivos significados. Os nomes masculinos polacos geralmente terminam com uma consoante e os nomes femininos terminam com a letra "A".

Bogdan (pronuncia-se bógdan) - "dado por Deus" é um nome popular na Polônia, mas também na Ucrânia (Bohdan), este é o único nome de pessoa, polaco, com o sufixo "dan", o que leva linguistas a suspeitar de um empréstimo a partir dos Citas (povos turcomanos), que usaram o nome Bagadata (nome persa antigo derivado de Baga "Deus" e data "dado".  Este era um nome do século 3 a.C. dos persas sob o Império Selêucida com o mesmo significado de "dado por Deus".

Bożydar (pronuncia-se bójidar)- "presente de Deus", bastante raro, mas ainda utilizado. É uma tradução de seus equivalentes gregos e latinos Theodor e Theodatus, ou Teodoro (significado adorado por Deus).

Bożena (pronuncia-se bójena)- outro nome composto com a raiz eslava que significa Deus. Este antigo nome eslavo era conhecido no Reino Tcheco desde o século 12, mas tornou-se popular na Polônia durante o século 19.

Bogumił (pronuncia-se bógumiu) - "alguém que é querido a Deus".  Às vezes é considerado uma cópia do Theophilos grego.

Bogusław (pronuncia-se bógussuaf) - nome teofórico significando "para louvar a Deus". Conhecido em todas as línguas eslavas e popular desde a Idade Média. Na Polônia, o nome explodiu em popularidade durante os anos 1950 e 1960.

Bolesław (pronuncia-se bólessuaf) - a raiz bole vem de bolye e significa muito, ou mais. Assim, o nome pode ser traduzido como "aquele que vai ter um monte de glória (fama). Foi inicialmente utilizado pelos duques da dinastia Piast.  Mas sua popularidade foi diminuindo a partir de 1920.

Bronisław (pronuncia-se brónissuaf) - outro nome com a raiz "sław" bronić que significa defender - o que pode ser traduzido como "aquele que vai defender a sua glória".

Czesław (pronuncia-se Tchessuaf) - o cze- em Czesław vem do verbo czcić - ou seja adorar. A composição pode ser traduzida como aquele que "vai adorar ou respeitar o bom nome [glória - fama] (da casa)". O nome era popular até 1950 - mas já não o é tanto nos dias de hoje.

Jarosław (pronuncia-se iárossuaf) - jary - como adjetivo significa vigoroso e poderoso; o nome, portanto, pode ser composto para significar "aquele que tem forte glória ou fama". O nome tem sido popular na Polônia desde o renascimento dos nomes eslavos no século 19. Foi muito popular na década de 1960 e 1970.

Outros nomes eslavos, mas não polacos possuem variantes com o lexema JAR- que incluem Jaromir.

Kazimierz (pronuncia-se cajimiéj)- combina a raiz mir (respeito), e kazić (destruir), ou seja, "aquele que destrói o respeito''. O nome de muitos reis e duques dos Piast e das dinastias Iaguielônica, como Casimiro I - o Restaurador, ou Casimiro III - o Grande.
São Casimiro (1458 -1484), príncipe herdeiro da dinastia Iaguielônica, tornou-se o patrono da Lituânia e da Polônia.
Casimiro é um dos únicos nomes polacos que se tornaram bastante populares fora da Polônia. No final do século 18, o nome foi levado para a América por Kazimierz (Casimiro) Pułaski.

Lech Wałęsa - Prêmio Nobel da Paz (pôs fim a União Soviética)
Lech (pronuncia-se lérrhh) - é um dos raros nomes eslavos com lexema simples em polaco. Segundo a lenda, os irmãos Lech, Czech e Rus são os pais fundadores dos povos polaco, tcheco e russo (e ucraniano e bielorrusso), respectivamente. Lech é um nome tipicamente polaco que continua muito popular. Sua etimologia é incerta - a maioria das hipóteses leva ao verbo Lścić - (para agir dolosamente); Lech poderia ser um diminutivo de Lścisław.

Lesław (pronuncia-se léssuaf) - este nome foi muito provavelmente introduzido pelo poeta romântico tardio Roman Zmorski (1824-1867). Foi especialmente popular na década de 1950.

Leszek (pronuncia-se léchék) - provavelmente uma versão hipocorístico (diz-se de ou qualquer palavra criada ou prenome modificado, ou qualquer vocábulo usado antroponimicamente com intenção de carinho, para uso no trato familiar ou amoroso, sempre no diminutivo) derivado de Lestek, que por sua vez já é diminutivo de Lech.

Ludomir - "aquele que garante a paz - o respeito - para as pessoas", a partir de lud- raiz que significa povo.

Marzanna (pronuncia-se májana) - emobra o nome não seja popular no momento, ele remonta à antiguidade eslava. Marzanna era uma divindade eslava, e ela ainda está presente no folclore polaco. Uma efígie da deusa é queimada no primeiro dia de Primavera.

Mieczysław (pronuncia-se miétchssuaf)- a forma mais antiga era provavelmente Miecisław (pronuncia-se miétchissuaf), que vem do verbo mietać - "para jogar". e sław- glória.

Mieszko (pronuncia-se miéchko) - é o nome do primeiro governante histórico da Polônia; definitivamente é raro, mas ainda assim é um nome dado ainda para muitos meninos polacos. É provável que foi originalmente derivado de um diminutivo de Miecisław (pronuncia-se miétchissuaf).

Mirosław (pronuncia-se miróssuaf) - assim como Sławomir (pronuncia-se suavomir) combina (em sequência invertida) com os dois lexemas mais empregados em nomes eslavos polacos. Ele pode ser composto no sentido de "aquele que elogia a glória" ou "aquele que ganha fama por ordem ou paz que estabelece". É considerado um dos mais antigos nomes polacos.

Przemysław (pronuncia-se pjemissuaf) - Remonta a Przemysł, (pronuncia-se pjemissu) que incorporado a raiz - Mysł (pensamento); com a terminação -Aw supostamente teria sido adicionada por assimilação; prze- provavelmente significa przez (preposição: através de). Pode se referir a alguém pensativo.

Radosław (pronuncia-se radóssuaf) - combina a raiz Rado que significa contente feliz, satisfeito, e sław (glória, fama), ou seja, "a glória de ser feliz, ou a fama de feliz).

Radzimir (pronuncia-se radjimir) - a raiz radzi- remonta a raci- que significa lutar; alguém ansioso para lutar. Não é um nome popular.

Sławomir - uma variante do Mirosław; o nome desapareceu no século 16 para reaparecer no século 19.

Santo Estanislau
Stanisław (pronuncia-se stanissuaf) - raiz de "stand" ou "tornar-se", pode expressar um desejo para a glória ou fama; um dos nomes mais populares polacos. Está registrado, no início do século 13, como Stanislaus - uma forma que ganhou a Europa Ocidental, onde obteve popularidade.
Ele tem sido usado, na França, como Stanislas, que provavelmente está ligado ao fato do rei polaco Stanisław Leszczyński ter residido em Nancy.
Stanisław também é o nome do santo polaco (sepultado em caixão de prata e colocado no meio do corredor da catedral de Wawel, em Cracóvia), e conhecido nos países católicos como um líder da tribo americana Yokut, tribo nativa do Norte da Califórnia, do século 19, que foi chamado de Estanislao.
Stanislaus, juntamente com outros nomes polacos, ganhou popularidade no também no século 19, na Irlanda. Foi uma época em que ambos os países católicos enfrentaram uma situação política desoladora. Dar um nome polaco, na Irlanda, naquela época, foi visto como um sinal de simpatia para com a nação polaca que estava sofrendo com as ocupações russas, austríacas e prussas (alemãs).
Outro fator pode ter influenciado foi uma tradição jesuíta forte em algumas famílias católicas irlandesas - o nome do irmão de James Joyce era Stanislaus.

Tomisław (pronuncia-se tomissuaf)- Nome eslavo mais popular nos Balcãs (Tomislav) do que na Polônia. A etimologia liga o tomi de Tomisław com o antigo verbo eslavo tomiti - de tormento, assediar.
Este nome pode ser traduzido como "aquele que é atormentado pela necessidade de ser famoso".

Wanda (pronuncia-se vanda e não uanda, pois não é nome inglês, W em idioma polaco e português tem som de V e não de U) - É um nome genuinamente polaco, lendário e muito provavelmente foi cunhado pelo historiador medieval polaco Wincenty Kadlubek. 
Wanda é um dos nomes polacos mais usados fora da Polônia. E a maioria das pessoas desses outros países acredita ser um nome bíblico, ou alemão. O que é um erro grosseiro e demonstrativo de toda a ignorância a respeito da história da Polônia e dos polacos.

Wacław (pronuncia-se vatssuaf) - Segundo linguistas, Wacław remonta a Więcław (pronuncia-se vientssuaf) que é um diminutivo de Więcesław (pronuncia-se vietssessuaf) que tem seu equivalente russo como sendo Vyacheslav.
Com więce- que significa "mais" - semanticamente este é basicamente uma outra variante de Bolesław (veja acima a definição). Na primeira metade do século 20 foi muito popular - mas sua popularidade foi diminuindo desde então.

Wieńczysław (pronuncia-se vientchssuaf) - pode até ser parecido com outro nome antigo, mas na verdade Wieńczysław apareceu pela primeira vez, no início do século 18; wieńczyć- significa "coroar", assim fica sendo "aquele que deve ser coroado com a glória e/ou fama."

Wiesław (pronuncia-se viéssuaf) - É conhecido desde o século 14 e que poderia ser uma forma abreviada de Wielisław  de wieli- "muito". É outro nome que significa "alguém que deve ser mais famoso" ... (comparável a Bolesław e Wacław.)

Wisława (pronuncia-se vissuava) - É provavelmente derivado de Witosława, um nome bastante popular do século 12. Ele não é muito popular hoje, mas Wisława Szymborska definitivamente imortalizou o nome.

Władysław (pronuncia-se vuadissuaf) - Muito provavelmente veio para o idioma polaco através dos Tchecos. O equivalente polaco deveria ser Włodzisław (pronuncia-se vuódissuaf). A raiz "wład-" ou "władz-" significa exercer o poder, governar. Em latim foi grafado Ladislao.
Apropriadamente, ele tem sido o nome de muitos reis da Europa Central a começar por Ladislau I da Hungria (São Ladislaus), Władysław Jagiello, (pronuncia-se vuádissuaf iaguiélo), Władysław IV Waza.
Foi extremamente popular no início do século 19.

Włodzimierz (pronuncia-se vuódjimiéj)- Anteriormente era usado como uma versão polonisada do nome russo Vladimir. Lenin, por exemplo é conhecido como Włodzimierz em polaco, enquanto que Putin como Wladimir.
Foi bastante popular no Leste da Polônia durante o século 19 e gradualmente chegou a todo o país durante o século 20.

Wojciech (pronuncia-se vóitchiérrhh) - Este antigo nome combina "woj -", guerreiro, e "ciech-" de cieszyć się - significado para ser feliz, alegrar-se, ou seja, "aquele que se alegra em batalha".
O nome de um mártir e primeiro santo e patrono da Igreja Católica polaca é conhecido, em português, como Santo Adalberto de Praga. Embora o nome Adalbert não tem nenhuma ligação etimológica. É um dos nomes polacos mais antigos e mais populares de todos os tempos.

Zbigniew Ziembiński - pai do moderno teatro brasileiro
Zbigniew (pronuncia-se sbigniéf) - Nome derivado da raiz "zby-" (para livrar, livrar-se) e "-gniew" (raiva) poderia ser interpretado como "alguém que está livre da raiva", que neste entendimento tem mais de budista do que do jeito eslavo de ser. Encontrado em fontes escritas, já no século 11 como Zbygniew.
Há outros nomes com o mesmo sufixo, como Zbysław, Zbylut, Zbywoj (pronuncia-se sbssuaf, sblut sbvói), mas eles definitivamente não são populares hoje em dia.

Zdzisław (pronuncia-se sdjissuaf) - "zdzie-" é supostamente derivado de "działać "(agir). O nome era conhecido já no século 12, mas foi esquecido no século seguinte. Ele retornou com popularidade no século 19.

Ziemowit (pronuncia-se jiémóvit) - Seria uma versão distorcida da Siemowit ( pronuncia-se chiémóvit) - Composto de "Siemo"- (do pré-eslavo * sěmьja) que poderia significar "a família ou casa" e "-wit" (senhor, senhor). O significado pode ser considerado como "senhor da casa '. Siemowit era um nome comum dos governantes da dinastia Piast.

Nomes estrangeiros disfarçados de polaco

A versão polonisada dos nomes cristãos mais comuns, como Piotr, Łukasz, Andrzej, Grzegorz, Agnieszka, Małgorzata ou Katarzyna (pronuncia-se piótr, uúcach, andjiei, gjegój, agniechca, maugójata e catajina) respectivamente Pedro, Lucas, André, Gregório, Inês, Margarete e Catarina são bastante reconhecíveis. Alguns deles, no entanto, têm uma história própria, e portanto, enganosa.

Jacek (pronuncia-se iatssék)- este nome polaco popular não é de maneira alguma o correspondente de Jack, Jake ou Jacob, pois Jacob é Jakub em polaco). Na verdade é uma forma de Jacinto.

Jerzy (pronuncia-se iéj) - É o equivalente polaco do pitoresco Jorge.

Maciej (pronuncia-se mátchiei) - alguns nomes cristãos têm duas variantes em polaco, sendo usados como Mateusz (pronuncia-se mateuch) e Maciej. Ambos são derivados de Mathaeus (Mateus). O mesmo vale para Bartłomiej (pronuncia-se bartuómiei) e Bartosz (pronuncia-se bartóch) que tanto pode ser Bartholomaeus (Bartholemew), com o último nome em ambos os pares são considerados uma forma mais plebeia.

Mikołaj (pronuncia-se micóuai) - o equivalente polaco de Nicolas é perceptível através do uso do M em seu início, um recurso usado pelos polacos do nome tcheco (Mikoláš), do eslovaco (Mikuláš), do Bielorrusso (Mikalai), do ucraniano (Микола - Mykola) -, mas também do húngaro (Miklós). O eslavo russo e outros mantiveram o N inicial (Nikolay), como no original grego Nikolaos.

Tadeusz Kościuszko - herói de 2 mundos
Tadeusz (pronuncia-se tádeuch) - Um dos nomes mais comuns (ou mesmo arquetípicos) polaco não tem quaisquer raízes eslavas. Tadeusz chegou ao polaco diretamente do latim (Thadaeus), mas suas origens se encontram no aramaico (תדי, Taddai / Aday pode ser traduzido como "coração valente") e grego (Θαδδαῖος).
Até o século 19, ele não era um nome muito popular na Polônia, com exceção das áreas do norte-oriental da República das Duas Nações Polônia-Lituânia, onde tinham sido estabelecido o culto religioso de Judas Tadeu algum tempo antes.
O nome ganhou importância com o surgimento de figuras históricas, como Tadeusz Kościuszko (pronuncia-se tádeuch cóchiuchco) e Tadeusz Rejtan (pronuncia-se reitan). Ambos nasceram no Leste da República das Duas Nações (atualmente território da Bielorrússia) e se tornaram exemplares do espírito patriótico polaco no momento da partições da Polônia.
O nome foi dado então (em memória de Kościuszko) por Adam Mickiewicz para o principal herói do seu poema épico Pan Tadeusz - o que definitivamente contribuiu para a popularidade do nome na Polônia.
Até o final do século 18, o nome também tinha sido popularizado na América. Thaddeus Stevens, político chave da Guerra Civil e Reconstrução da Nova Era, e conhecido por sua oposição implacável ao sistema escravista nos Estados Unidos da América ganhou seu nome como homenagem a Kościuszko (herói de dois mundos).
O general polaco junto com seu compatriota Puławski foram determinantes na Guerra pela Independência das 13 colônias inglesas. Tanto é verdade que tanto Kościuszko como Puławski são denominações de ruas, avenidas, praças, monumentos e pontes por todo os Estados Unidos. As principais pontes de Nova Iorque levam os nomes dos dois polacos.
Tadzio (pronuncia-se tádjio) é um diminutivo de Tadeusz.

Nomes germânicos (alemães)

Nomes alemães disfarçados de polaco incluem:

Jadwiga (pronuncia-se iádviga) - É uma versão polonizada do nome alemão Hedwig. Em português é Edvirges. As duas Santas Edvirges são polacas. Uma delas é a Rainha Jadwiga Piast, fundadora da Universidade Iaguielônica e padroeira da Polônia e da União Europeia.

Santa Kinga (Conegunda) - rainha da Polônia
Kinga (pronuncia-se quinga) - uma forma abreviada do nome antigo alemão Kunegunda. Em português Conegunda e em momento algum derivação do inglês King (rei). Kinga é atualmente um dos nomes de mulher mais populares da Polônia, muito em função da Rainha Kinga (húngara de nascimento e esposa do rei da Polônia, Bolesław V - Wstydliwego e consagrada como Santa Kinga (ou Conegunda).

Olga - Este é um um empréstimo precoce do nome saxônico (alemão)  originais Helga

Waldemar - enquanto este é obviamente um nome saxônico (waltan - exercer o poder, regra, mar - grande, famoso), Waldemar tem em alguma ligação com nome eslavo Vladimir (em polaco: Włodzimierz).
Ambos os nomes têm o mesmo significado e são compostos de raizes que são cognatas. O nome de Waldemar apareceu na Polônia apenas no século 19.

Zygmunt (pronuncia-se zegmunt) - originalmente um nome alemão. Sigmund ou Sigismund é derivado das palavras SIGU - "vitória". "mão, proteção" mãos "munt" - e pode ser traduzido como "aquele cuja proteção subvenciona a vitória". A versão em polaco Zygmunt ganhou muita popularidade na Polônia, após os nome de diversos reis como Sigismund I - o velho, Sigismund II Augusto e Sigismund III Vasa, e continua a ser popular (consideravelmente mais do que os seus equivalentes alemães). O nome próprio do famoso psiquiatra Sigmund Freud foi escolhido pelo pai de Freud, o Sr. Jacob, que era conhecido por suas simpatias para com polacos, muito em função de seus ancestrais terem vivido durante séculos na República Polaca, antes da família se mudar para a Galicia (província austríaca nos territórios polacos ocupados pelo Império Habsburgo). Jacob Freud deu este nome para seu filho, como homenagem aos reis polacos, conhecidos por sua tolerância e proteção para com os judeus.

Nomes Lituanos

Vários nomes populares poloneses tem origem na Lituânia. Isso remonta a séculos de intercâmbio cultural no seio da Comunidade Polaco-Lituana. Embora seja incerto, Olgierd (Algierdas) e Danuta podem ter vindo também do Lituano.

Danuta - é um nome de origem lituana que provém da palavra "danutie", ou seja, é uma combinação de significados referentes a "céu e filha". Alguns o classificam também como sendo de origem latina, da palavra "donata" (agraciada por Deus). Também é possível que deriva de uma nomes pré-eslavos do Sul a partir dos nome Dana, Danka, Danica (pronuncia-se dánitssa), que significa o “bebê doado por Deus”.

Grażyna - (pronuncia-se grajina) - Este nome, ainda relativamente popular na Polônia, foi inventado por Adam Mickiewicz, em um poema de 1823, a partir do gražus, um adjetivo lituano, que significa bela.

Witold (pronuncia-se vitold) Vem do lituano Vytautas - E pode ser traduzido como "aquele que leva as pessoas".



Por que os polacos nomeiam coisas e nomes com uma abundância de diminutivos em polaco?
Os polacos tendem a usar diminutivos em tudo a todo tempo.

Katarzyna é chamada de Kasia (pronuncia-se cáchia), Kaśka (pronuncia-se cachisca).
Com sufixos como -ek, -US, um nome pode ter toda uma gama de versões informais.
Stanisław é chamado de Stach, Staś, Stasiek, ou Staszek ou mesmo Stachu.

Isso vale para a maioria dos nomes polacos.

- Bolesław é Bolek (pronuncia-se bolessuaf, bólék)
- Eugeniusz, Eugenia é Gieniek, Gienia (pronuncia-se eugueniuch, guiéniék, guienha)
- Grzegorz é Grzesiek, Grześ (pronuncia-se gjegój, gjechiék, gjech)
- Jakub é Kuba, Kubuś (pronuncia-se iacub, cuba, cubuch)
- Karol é Lolek (pronuncia-se caróu, lólék)
- Jan é Janek, Jasiek, Jaś, Jasiu (pronuncia-se ian, ianék, iachiék, iach, iachiu)
- Jarosław é Jarek (pronuncia-se iarossuaf, iarék)
- Jerzy é Jurek, Jurko, Jurk (pronuncia-se iéj, iúrék, iurco, iurk)
- Józef é Józek, Józio, ou Ziutek (pronuncia-se iusef, iusek, iujio, jiutek)
- Kazimierz é Kazik, kazio (pronuncia-se cajimiéj, kajik, cajo)
- Krzysztof é Krzysiek, Krzyś (pronuncia-se kjichtóf, kjichiék, kjich)
Maciej é Maciék - (pronuncia-se matchiei, matchiék)
- Mirosław é Mirek (pronuncia-se mirossuaf, mikék)
- Paweł é Pawelku (pronuncia-se pávéu, paveucu)
- Radosław é Radek (pronuncia-se radossuaf, radék)
- Szymon é Szymonku
- Wojciech é Wojtek (pronuncia-se vóitchiérrhh, vóiték)

O mesmo vale para nomes das meninas:
- Antonina é  Tonka, Tonia, Tońcia e Nina (pronuncia-se antonína, tonca, tónha, tónhtchia, nína)
- Aleksandra é Ola (pronuncia-se alékssandra, ola)
- Agnieszka e Agata é Aga (pronuncia-se agnhiéchca, agáta, ága)
- Alicja é Ala (pronuncia-se alicia, ála)
- Barbara é Basia, Baśka (pronuncia-se barbára, báchia, bachka)
- Ełżbieta é Ela, Elka (pronuncia-se éujbiéta, éla, élca)
- Jadwiga é Iga, Inina, Jadzia (pronuncia-se iádviga, íga, ínina, iádjia)
- Katarzyna é Kasia, Kaśka (pronuncia-se catajina, cáchia, cáchca)
- Joanna é Aśka ou Ásia, Joaśka (pronuncia-se ionna, áchca, áchia, ioachca)
- Małgorzata é Małgośka, Gośka, Gosia, Małgosia (pronuncia-se maugójata, maugóchca, góchia, maugóchia)
- Urszula é Ula, Ulka (pronuncia-se urchula, úla, úlca)

Lista dos 10 nomes mais registrados nos cartórios da Polônia em 2014

Meninas:
1. Lena - 9642
2. Zuzanna - 8856
3. Julia - 8572
4. Maja - 8055
5. Zofia - 6733
6. Hanna - 6407
7. Aleksandra - 5935
8. Amelia - 5586
9. Natalia - 5,205
10. Wiktoria - 5,149

Meninos:
1. Jakub - 9382
2. Kacper - 7232
3. Antoni - 7143
4. Filip - 6903
5. Jan - 6817
6. Szymon - 6112
7. Franciszek - 5139
8. Michał - 5004
9. Wojciech - 4,959
10. Aleksander - 4,896

A lista demonstra claramente que os nomes típicos eslavos estão longe de ser popular, atualmente. Apenas Wojciech aparece em os 10 mais. A lista é cheia de nomes de origem cristã (derivados do latim, grego, hebraico ou aramaico).
Na lista das meninas lista, o primeiro nome eslavo só  é encontrado no 31º posto da classificaçao, o Jagoda), Kinga, que não é originalmente eslavo mas pode ser considerado um nome tipicamente polaco está em 35º, Olga está em 56º e Kalina em 57º.
Na Lista dos meninos, além de Wojciech roubar o nono lugar, apresenta ainda Stanisław em 20º, Miłosz em 21º, Przemysław em 62º e Radosław em 64º. 

Texto baseado em reportagem de Mikołaj Glinski


Postar um comentário