domingo, 28 de agosto de 2016

The Independent: Um guia para a Polônia

O jornal de "Independent" de Londres, publicou dias atrás uma extensa reportagem sobre a Polônia, assinada por Andy Jarosz.


O título pretende apresentar o país para os turistas ingleses: "Um guia para a Polônia...".

Mas vamos ao texto:

É conhecida por suas cidades que envelheceram com a história, mas se aventurar além dos centros urbanos vai permitir encontrar algumas das montanhas mais pitorescas, lagos e costa da Europa.
Muitas viagens a Polônia levam a locais históricos do país, mas suas cadeias de montanhas oferecem vistas igualmente espectaculares
"Venha para o passado, experimentar o futuro", poderia facilmente ser um novo slogan para o turismo polaco. Os visitantes são atraídos para o país principalmente por suas cidades medievais e locais sombrios relativos à sua história no século 20. Quando chegam nas principais metrópoles da Polônia, no entanto, estão susceptíveis de serem atingidos por blocos de torre de vidro modernos, moda de vanguarda, e um vibrante cenário gastronômico, que é um dos mais dinâmicos da Europa.

Sempre que se olhar na Polônia, é difícil escapar da evidência de que ela tem sido indelevelmente moldada pela sua localização geográfica; grandes cidades como Varsóvia, Cracóvia e Wrocław (uma das Capitais Europeias da Cultura deste ano de 2016) devem sua magnífica arquitetura pela posição no centro das grandes rotas comerciais da Europa. Mas isso também trouxe destruição e sofrimento, assentada como tem sido há séculos entre as nações mais poderosas do continente.

Torres modernas ao lado Palácio da Cultura e Ciência (Getty Images)
Enquanto os visitantes internacionais têm sido atraídos pela história da Polônia, o país está longe de ter falta de atrativos naturais. As zonas úmidas e cristalinas dos Lagos da Mazuria estão se tornando locais de mais fácil acesso no verão, graças ao lançamento de novos voos das companhias áreas europeias.

As montanhas Tatra, entretanto, oferecem grandes oportunidades para esquiar no inverno e uma abundância de trilhas para caminhadas no verão. E a costa do Mar Báltico na Polônia, durante muitos anos, oferecendo turismo de saúde à moda antiga a um mercado, principalmente doméstico, tem se desenvolvido rapidamente com spa alternativo para exigentes visitantes estrangeiros.

A menção da cozinha polaca não pode agitar o mesmo sentimento de emoção como seus equivalentes franceses ou italianos, mas há muito mais para se comer aqui do que uma série de combinações de porco indigesta, com repolho e batata. O Senses (sensesrestaurant.pl) é uma nova opção na cena da gastronomia de Varsóvia. Ele é a segundo destino da cidade com estrela Michelin. E enquanto os mercados de noite podem ser atrações familiares no Sudeste Asiático, o equivalente varsoviano recentemente se estabeleceu logo atrás da estação  de trem central; que oferece uma grande variedade de pratos frescos, com comida de rua asiática dominando o menu.

Apesar do seu amplo apelo, a Polônia permanece relativamente livre das grandes multidões de turistas, mesmo no pico dos meses de verão; assim pode oferecer tudo do melhor para aqueles que fazem uma viagem para lá.

*Uma libra esterlina 1£ vale atualmente 5,2 złotys polacos e o dólar é cotado em US$ 1 por 4 złotys.

Varsóvia
A capital da Polônia é uma cidade moderna, de classe mundial, com muitos museus contemporâneos. Saiba mais sobre o heroísmo e traição que levou a Varsóvia a ganhar o título de cidade mais destruída do planeta no Rising Museum Warsaw (1944.pl; 18 złotys a entrada), ou voltar séculos no excelente Museu da História dos polacos-judeus (polin.pl; 25 złotys o ingresso); pois é uma imersão na rica herança judaica da cidade.

Na lista da Unesco, está a reconstruída Cidade Velha, com músicos de rua se apresentando ao vivo, em cafés e multidões de turistas. Vale a pena dar um passeio à noite para vê-la em sua forma mais atmosférica.

A Praça Zamkowy, na entrada para a Cidade Velha, oferece uma visão do passado de Varsóvia como a capital florescente do século 17 (Getty Images)
No ano passado foi inaugurada a segunda linha de metro da cidade, ligando os bairros no lado leste do rio Vístula, como Praga, uma área anteriormente degredada que está sendo regenerada, com as fábricas e armazéns sendo transformados em galerias, bares e cafés. Soho Factory (sohofactory.pl) exemplifica esta transição; uma coleção de espaços industriais velhos, hoje, é o lar de galerias, restaurantes e lojas.

"The Neon Muzeum" no "Soho Factory é dedicado à preservação
dos sinais da guerra fria na era de neon da Polônia
Cracóvia
A cidade é a jóia cultural da Polônia, e seus edifícios, e não seu povo, foram poupados do pior dos horrores da Segunda Guerra Mundial. Sua cidade velha medieval permanece firmemente intacta; os visitantes se reúnem em torno da magnífica Stary Rynek (Praça do Velho Mercado), onde a cada hora se pode ouvir o toque interrompido de uma corneta soando a partir da torre da Basílica de Santa Maria.

No canto esquerdo, a Mariacka, construída no século 14,
é um dos pontos mais espetaculares da cidade (Getty) 
Explore o Castelo Wawel, a antiga sede da realeza polaca (wawel.krakow.pl). Os ingressos variam de acordo com as exposições e as partes do castelo. E dar um passeio no Kazimierz (pronuncia-se cájimiéje, ou Casimiro em português) é um pulo. Bairro que já foi coração pulsante da vida judaica da cidade.

A história da guerra é melhor explorada num moderno museu, a ex-fábrica de esmaltados de Oskar Schindler (mhk.pl; ingresso a 21 złotys). Além é claro de uma curta viagem de Cracóvia para Auschwitz-Birkenau (auschwitz.org; entrada gratuita), onde os visitantes podem compreender melhor o que foram os horrores nos campos de concentração e extermínios alemão nazistas.

Aventuras de montanha
As montanhas Tatra dividem a Polônia da Eslováquia e oferecem paisagens espectaculares. A cidade de Zakopane passa de estância de esqui de inverno para uma base popular de caminhadas nos meses de verão. Enquanto a caminhada até o ponto mais belo, a Morskie Oko (8 km) é geralmente muito visitado, pode-se facilmente se perder entre as multidões que tomam de assalto o caminho ao redor do lago glacial verde-esmeralda.

O Parque Nacional Bieszczady oferece uma vista deslumbrante no Sudeste da Polônia
Para uma experiência "cabeça" na montanha mais remota do Parque Nacional Bieszczady (podkarpackie.travel) no sudeste da Polônia. Aqui vai se encontrar trilhas isoladas ao longo de cumes dramáticos, aldeias abandonadas, e densas florestas que abrigam uma rica variedade de vida selvagem, incluindo ursos negros e lince.

Prazeres costeiros
O verão na costa báltica da Polônia tem sido sempre um assunto apenas de turistas domésticos (os próprios polacos), mas nos últimos anos o número de visitantes internacionais tem aumentado. Gdańsk é a maior cidade e foi o berço do movimento Solidariedade, que promoveu o fim do regime comunista. Pode conhecer tudo sobre ele no Centro de Solidariedade Europeu (ecs.gda.pl; 17 złotys a entrada).

A história de Gdańsk está intimamente ligada ao comércio; cerca de 90% do âmbar no mundo é colhido na costa do Báltico e a riqueza resultante disso é evidente nos muitos grandes edifícios da Cidade Velha. As cidades próximas costeiras de Sopot e Gdynia são destinos para um relaxar descontraído; o Hotel Sopot familiar (hotelsopot.eu) tem somente quartos duplos a 350 złotys, enquanto o duplex no sofisticado Hotel Quadrille em Gdynia (quadrille.pl) tem diárias a partir de 235 złotys; ambos oferecem pacotes promocionais.

Terra dos Lagos
Conhecida como "A Terra dos Mil Lagos", a Mazuria é uma região de baixa altitude e popular entre os entusiastas dos esportes aquáticos. Caso você prefira vela ou wakesurfing, mas também oferece passeios de bicicleta.

Os balneários de Gizycko e Mikołajki são centros de lojas de artes ao ar livre e cafés, onde as noites são curtidas, principalmente, com refeições ao ar livre à beira do lago, brindados pelo pôr do sol sobre a água.


Os belos lagos da Mazuria 
Até agora, esta pitoresca região se manteve fora da rota turística internacional, mas já existem vôos regulares para Olsztyn-Mazury desde Luton (wizzair.com) este verão, e Stansted (ryanair.com) no inverno, as coisas tendem a mudar.

Chegando lá
Entre as companhias aéreas europeias que voam para a Polônia, incluem-se: LOT, British Airways, Wizz Air, Ryanair e easyJet.

Mais informações: poland.travel
Postar um comentário