sábado, 17 de janeiro de 2009

Hércules nas ruas de Cracóvia

As ruas de Cracóvia ganharam esta semana centenas de imensos cartazes com a figura de um homem e o título de Herkules nad Termodontem (no original italiano: "Ercole su ´l Termodonte") Vivaldi. A TVPInfo Canal de Cracóvia saiu às ruas para aferir o choque causado pela figura seminu. O cartaz é um projeto do Krakowskie Biuro Festiwalowe (Escritório do Festival Cracoviano) no novo ciclo musical da „Opera Rara” que estréia no dia 23 de janeiro próximo com a ópera Hercules no Termodonte (atualmente o rio Terme). A direção é de Fabio Biondi e os solistas Vivica Genaux, Philippe Jaroussky, Maria Grazia Schiavo, Romina Basso e Filippo Adami. „Hercules no Termodonte" foi escrito por Vivaldi para o Teatro Capranica na estação do Carnaval de 1723.

Conta a fábula que as amazonas eram filhas de Ares e da ninfa Harmonia e fundaram, sob a inspiração do pai e de Ártemis, um reino belicoso habitado apenas por mulheres, geralmente nos confins do mundo conhecido dos gregos arcaicos - no Cáucaso, na Trácia, no Mar Negro, na Cítia ou na Lídia, conforme diferentes versões. Na versão mais difundida, as amazonas viviam no norte da Anatólia, perto das margens do Mar Negro e formavam um reino independente sob a liderança de suas rainhas. Segundo as tragédias de Ésquilo, as amazonas viveram inicialmente junto ao Palus Maeotis, atual Mar de Azov, mas depois migraram para a cidade de Temiscira, às margens do rio Termodonte (atual rio Terme).
Um dos trabalhos de Héracles (Hércules em português) era tomar o cinturão da rainha amazona Hipólita ("solta-cavalos"). Segundo uma versão, esta aceitou entregar pacificamente o cinturão, segundo outra, a rainha aceitou entregar a prenda em troca de sua amiga Melanipe ("de cavalo negro"), capturada pelo herói. De qualquer forma, Hera, disfarçada de amazona, suscitou uma querela entre os comanheiros de Héracles e as guerreiras de Temiscira e o herói, pensando ter sido traído pela rainha, a matou.
Héracles foi acompanhado nessa empreitada pelo amigo Teseu, que raptou Antíope ("ante seu rosto"), irmã de Hipólita. Segundo uma versão, isso levou as amazonas a retaliarem invadindo a Ática, mas Antíope morreu lutando ao lado de Teseu, pelo qual se apaixonara. Segundo outra versão, a invasão da Ática pelas amazonas não se deveu ao rapto de Antíope, mas ao abandono desta por Teseu, que a repudiara para se casar com Fedra, irmã de Ariadne. A própria Antíope comandou a expedição para tentar invadir a festa de casamento. Como foi repelida e morta, as amazonas se retiraram. De qualquer forma, a lendária batalha entre os atenienses e as amazonas, a "amazonomaquia" era comemorada nos frisos do Pártenon.

Foi só o polêmico cartaz aparecer nas ruas e 80% dos bilhetes foram imediatamente vendidos. 

Postar um comentário