segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Pré "Avant-premiere" do Sal da Terra em Cracóvia

O cineasta curitibano Eloi Pires Ferreira está na Polônia negociando a distribuição nos cinemas polacos de seu filme "O Sal da Terra". Descendente pelo lado materno de imigrantes polacos Eloi está na Polônia pela primeira vez. O sobrenome materno Pirkiel o liga às terras de seus ancestrais, no Sudeste da Polônia.
Nesta quarta-feira, dia 14 de outubro, às 18:00, no Kino Mikro, de Cracóvia, Pires Ferreira faz uma "avant-premiere" do filme de conta sobre a história da pastoral rodoviária no Brasil. Inspirado na figura do padre Marian Litewka, o filme "O sal da terra”, é na forma de sua essência, um roadmovie. Tomando por cenários as estradas brasileiras e focalizando um contexto gerado pelo gigantismo do Brasil rodoviário, o filme conta a historia de um padre caminhoneiro e suas andanças junto ao povo da estrada. O Sal da Terra é um road movie que conta a história do padre-caminhoneiro Miguel (Edson Rocha) e suas andanças junto ao povo da estrada. Ao longo do caminho, na boleia de seu caminhão-capela, ele vai conhecendo personagens marcantes – como o caminhoneiro Romeu (Enéas Lour) e o Andarilho (Luthero Almeida) – e descobrindo a diversidade humana que a estrada apresenta. Tipos humanos característicos desse ambiente catalisam a missão de Pe. Miguel, um sacerdote que há muitos anos trocou sua paróquia na cidade pela tarefa de atender ao povo da estrada.
O Sal da Terra coleciona o prêmio de melhor longa-metragem de ficção do 2.° European Spiritual Film Festival, evento audiovisual realizado na França, destinado a produções que apresentem enredos focalizando a elevação humana através de práticas e tradições espirituais ao redor do mundo. O filme brasileiro ganhou tambem o prêmio do júri popular da mesma mostra internacional (votação via internet) além do Prêmio "Margarida de Prata", da CNBB-Confederação dos Bispos do Brasil.


A promoção desta apresentação do filme curitibano é do Prof. Jerzy Brzozowski, diretor da cátedra Virgilio Ferreira, da Universidade Iaguielônia, de Cracóvia e também do Instituto Camões, na Polônia.
Pires Ferreira deverá, logo em seguida à projeção falar com estudantes das Faculdades de Filologia Românica e de Estudos Internacionais e Políticos, além de representantes da Congressão dos Vicentinos e do clero de Cracóvia. "Tenho me emocionado muito, desde que pisei pela primeira vez em solo polaco. Pensei até em repetir o gesto do Papa João Paulo II de beijar a terra que pisava pela primeira vez. Conhecer a Polônia, uma terra que me traz tantas recordações da minha mãe e meus avós e bisavós polacos é emoção pura", confessa Eloi.


A equipe da Pastoral Rodoviária, além de Litewska, conta com outros dois padres da Congregação da Missão Lazaristas, congregação fundada por São Vicente de Paulo, na França, em 1625. Litewska, nascido em Cracóvia, em 1937, e desde 1962 no Brasil, está nas estradas desde 1976. O Padre Germano Nalepa, descendente de polacos, nasceu em Campo Magro, região metropolitana de Curitiba e é sacerdote desde 1979 e está na Pastoral Rodoviária desde 1996. E o Padre Miguel Staron, também descendente de polacos, nasceu em Contenda, outra cidade de alta concentração de descendentes de imigrantes da Polônia.
O filme de ficção tem nos papéis principais Edson Rocha, Enéas Lour, Luthero Almeida e Christiane Macedo. Direção de Fotografia de Celso Kawa Filho (também descendente de imigrantes polacos), produção de J. Olimpio e roteiro de Eloi Pires Ferreira, J. Olimpio e Valtenir Silva. Direção de Eloi Pires Ferreira e produtor associado Marcos Cordiolli.

Postar um comentário