quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Sikorski cobra responsabilidades da Alemanha


O ministro das relações exteriores da Polônia, Radosław Sikorski está nas primeiras páginas do principais jornais europeus nesta semana. Também os principais telejornais destacam o discurso do polaco Sikorski feito nesta segunda-feira, em Bruxelas.
Entre frases fortes como: "Aprofundamento da integração ou desintegração", o ministro polaco cobrou dos alemães: "Exigimos da Alemanha, para o bem da sua e da nossa zona do euro, que nos ajude a sobreviver e a prosperar. Alemanha! Você sabe que ninguém mais é capaz de fazer isso". Sikorski advertiu ainda: "Bem, provavelmente eu seja, o primeiro ministro das Relações Exteriores polaco da história, a dizer que, começo a preocupar-me menos com a potência do que com a inatividade alemã."
Curiosamente nestes dias de crise na zona do Euro, os comentaristas e jornalistas brasileiros falam muito da Grécia, Portugal, Espanha, Itália e França. Mas esquecem e não citam linha sequer que a Presidência da União Europeia e do Parlamento Europeu neste momento é da Polônia.
O presidente polaco Bronisław Komorowski é o presidente de turno atual da UE, em Bruxelas (Bélgica), e o cientista e eurodeputado polaco Jerzy Buzek é o presidente do Parlamento Europeu, com sede em Strasburgo (França).
Também não citam que a Polônia é o país de melhor desempenho econômico entre os 27 países membros, há três anos. E que a crise apesar de vizinha não fez e parece que não fará estragos na Polônia.
Santa ignorância dos "comentaristas" brasileiros, ou censura deliberada?
Postar um comentário