quarta-feira, 2 de maio de 2012

Eunice no obituário da Gazeta do Povo


Publicado em 02/05/2012 | TEXTO: GABRIEL AZEVEDOPublicado em 02/05/2012 | TEXTO: GABRIEL AZEVEDOPublicado em 02/05/2012 | TEXTO: GABRIEL AZEVEDOObituário

Quarta-feira, 02/05/2012
Publicado em 02/05/2012 | TEXTO: GABRIEL AZEVEDO



Eunice Iarochinski era uma leitora voraz, lia de tudo. Toda semana ia à banca buscar um livro novo, não importava o enredo. O importante era a literatura para sonhar. E ela foi uma sonhadora. Seu livro favorito era Quo Vadis, do escritor polonês Henryk Sienkiewicz, um romance que narra a perseguição dos cristãos no Império Romano. Muito bem informada – acompanhava o noticiário todos os dias –, Eunice também era fã dos clássicos do antigo cinema argentino, principalmente aqueles interpretados por Carlos Gardel e Libertad Lamarque. Seu grande sonho – não realizado – era conhecer Buenos Aires, a terra do tango. Amante dos livros, dos filmes, da música e das novelas, Eunice fazia questão de assistir todas, começava com Malhação e só parava quando a das 8h terminava. Eunice nasceu numa fazenda localizada no distrito de Palmeiral, em Minas Gerais. Em Botelhos, cursou o primário. Durante a adolescência, se mudou com a família para Casa Branca, São Paulo. Lá ela estudou na Escola Industrial, aonde chegou a jogar na equipe de vôlei, esporte que amava, e que jogou muito bem. Em 1951, Eunice se muda com a família para Santo Antônio da Platina, no Paraná, e em 1955, para Monte Alegre. Lá, ela trabalhou como telefonista na Klabin e se casou aos 21 anos de idade. Os dois filhos nasceram, mas logo depois o marido morreu assassinado. Ficou viúva aos 24 anos e nunca mais se casou. Nos anos seguintes, Eunice passou a trabalhar na Companhia Telefônica Nacional (empresa que virou a Telepar), em Cidade Nova. Foram 33 anos, até se aposentar em 1994. Nem a artrite, nem a osteoporose, evitou que Eunice fizesse uma visita à Holanda, país em que o filho morava. Deixa dois filhos.
Dia 25, aos 74 anos, de parada cardiorrespiratória.
Postar um comentário