sexta-feira, 25 de maio de 2012

Um mês sem o mito

Eunice Pereira Iarochinski
Hoje faz um mês que Eunice Pereira Iarochinski (minha mãe) deixou nosso convívio. Partiu sem dizer adeus.
Deixou um vácuo imenso, que nem lágrimas, orações, lamentos, conselhos, consternações, pêsames conseguem minimizar.
Uma heroína que se tornou mito de bondade, perseverança, luta contra a dor, sorrisos e muito amor pelos seus e o próximo.
A estrada ficou mais difícil de ser percorrida sem ela. Sem o apoio e os olhos confiantes. Mas, principalmente, sem a doçura e serenidade inquebrantável.
O dia 25 de abril tinha tudo para ser uma virada para uma vida sem dores, mas quis o Oni que tudo viesse a ser cumprido em outros planos da existência de sua alma maravilhosa.
Postar um comentário