segunda-feira, 11 de março de 2013

Capriles descende de polacos


O presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, e o líder da oposição Henrique Capriles Radonski se enfrentarão nas eleições do dia 14 de abril, que vão decidir quem terminará o mandato do falecido presidente Hugo Chávez em 2019. 
Capriles Radonski aceitou o desafio neste domingo, um dia após ter recebido a proposta da aliança partidária de oposição, a Mesa da Unidade Democrática (MUD). 
Capriles Radonski representou à MUD nas eleições vencidas por Chávez no dia 7 de outubro, nas quais perdeu com o apoio de 6,6 milhões de venezuelanos (44,31% dos votos), frente aos 8,2 milhões (55,07%) de votos do governante falecido. 

Quem é o oposicionista venezuelano

Henrique Capriles Radonski nasceu em 11 de julho de 1972, em Caracas. De origem russo-polaca-holandesa. 
 Seu bisavô por parte de mãe era um russo judeu askenazí que, após a Primeira Guerra Mundial se estabeleceu na Polônia. 
 O avô, já nasceu na Polônia e engenheiro formado, trabalhou durante o entre guerra na distribuição de filmes e exibições de filmes. 
 Durante a Segunda Guerra Mundial os bisavôs de Henrique foram assassinados no campo de extermínio de Treblinka, na Polônia e o avô Andrzej envolveu-se em ações da resistência polaca. A avó Lili, polaca da família dos Bochenek que ficou confinada por 20 meses no gueto de Varsóvia
Juntos conseguiram fugir do gueto. Depois da guerra, Andrzej e Lili mudaram-se para a Venezuela, onde em 1947, abriram sua primeira sala de cinema e que viria se tornar a base de uma rede de cinemas por todo país, chamada de "Circuito Radonski". 
 Na Venezuela, nasceu Monica Cristina Bochenek-Radonski, que se casou com Henrique Capriles García, venezuelano de ascendência holandesa. 
Os Capriles García são originários da Ilha de Curaçao, que por sua vez,  eram de ascendência judaica sefardi. O trisavô Elías Capriles, nascido em Curaçao, em 1850 se converteu ao catolicismo.
Henrique Capriles García já era um empresário bem sucedido quando se casou com Monica. Ele era proprietário do consórcio "Cadena Capriles", empresa na área de mídia e mercado imobiliário. Em 1950, ele ajudou a lançar a Kraft Foods na Venezuela. 
O candidato à presidência venezuelana, Henrique Capriles Radonski é formado em Direito, pela Universidad Católica Andrés Bello de Caracas, e tem especialização na Columbia University de Nova Iorque, na Academia Internacional IBFD de Amsterdam e no Centro Interamericano de Administradores Tributários, de Viterbo, Itália. 
Durante as eleições do ano passado, quando foi derrotado por Chaves, explicou que seu pai, Henrique Capriles García, era católico e que, por sua vez, havia herdado a fé de sua mãe, Laura, enquanto sua mãe era judia. 
Mas os pais "concordaram em educar seus filhos na fé católica até que eles tivessem idade suficiente para decidir por si mesmos, qual religião seguir.” E por isso, embora sua ascendência judia askenazí-sefardi, é um católico fervoroso. 
Ainda durante a campanha, partidários de Hugo Chaves, "vieram aqui e me chamaram de nazista. Como se minha avó ficou presa no Gueto de Varsóvia e meus bisavôs foram mortos em Treblinka?", disse Henrique Capriles Radonski, depois que as paredes da antiga casa colonial, sede do governo de Miranda, foram pichadas em vermelho com suásticas e os partidários de Chaves gritavam "fascista nazista!"diante do edifício.

Se vencer as eleições, Henrique Capriles Radonski será o segundo descendente de polaco, a chegar a presidência de um país latinoamericano. O primeiro foi o costariquenho Teodor Picado Michalski. No Brasil pelo menos dois governadores de Estado são descendentes de polacos-judeus Jaime Lerner no Paraná e Jacques Wagner (tem cidadania polaca inclusive), na Bahia.
Postar um comentário