sexta-feira, 4 de novembro de 2016

A aparência dos imigrantes polacos


Poster arquivado na Biblioteca do Congresso Nacional dos Estados Unidos, de autoria de Adolf Franz Theodor Münzer (*1870, +1953).

Frase no alto do cartaz: Esta é a aparência dos emigrantes polacos

O pôster foi criado como parte de uma campanha para convencer as pessoas de etnia alemã da Alta Silésia a votarem a favor de manter a região como parte da Alemanha após a Primeira Guerra Mundial.

O pôster apela aos votantes alemães representando pessoas de etnia alemã empobrecidas deixando a Polônia.

O texto completo diz:
“Esta é a aparência dos emigrantes polacos, e você também se parecerá com eles se a Silésia se tornar parte da Polônia. Alto-silesianos! Permaneçam com a nova Alemanha!”

Localizada na atual região sudoeste da Polônia, a Alta Silésia era originalmente um território polaco que, durante 127 anos, esteve ocupado pelo reino da Prússia (depois República da Alemanha). Em séculos passados também esteve sob domínio temporário da Bohemia e da Áustria.
No início do século X, os governantes da Silésia encorajaram a imigração de povos saxônicos, para que trabalhassem como fazendeiros e nas indústrias locais têxtil e carvoeira.
Após a derrota da Alemanha e da Áustria na primeira guerra mundial, a posse da Alta Silésia foi disputada pela Alemanha com a Polônia que recentemente havia recuperado sua independência.

O Tratado de Versalhes, de 1919, ordenava que a questão da posse fosse decidida por referendo popular.
No plebiscito de 20 de março de 1921, a Alemanha obteve aproximadamente 706.000 votos, e a Polônia, 479.000.
No entanto, os polacos silesianos realizaram uma revolta armada e, no final, os Aliados concordaram em devolver região da Alta Silésia à Polônia.

Theodor Münzer, artista de origem prussiana-alemã nasceu na Alta Silésia e bastante conhecido por seus murais decorativos.


E este é um pôster do artista alemão Fritz Gottfried Kirchbach (1888 a 1942). 

É de 1920, produzido em Berlim, como parte da campanha alemã para convencer votantes de áreas rurais da Silésia a optarem por continuar sob a ocupação da Alemanha.
O cartaz mostra um fazendeiro que perdeu seu cavalo e que, portanto, conduz um arado puxado por sua mulher e seu filho. O texto diz:

“É isto o que ocorrerá conosco na Polônia! Nós, fazendeiros, votamos na Alemanha!"

Em um momento em que a agricultura era ainda quase inteiramente dependente de animais de tração para a aragem e outras atividades, a imagem de uma família raquítica sendo forçada a trabalhar a terra desta maneira enviava uma mensagem poderosa aos eleitores.

Gottfried Kirchbach que criou várias obras alertando pessoas de etnia alemã sobre as misérias que as aguardavam caso decidissem se tornar cidadãos da Polônia.
Postar um comentário