terça-feira, 8 de novembro de 2016

Três polacos que vivem no Brasil ganham prêmio de Literatura

Escritores polacos do Brasil são laureados com o Prêmio de Literatura 2016 da ZPPnO - Associação de Escritores da Polônia no Exílio, com sede em Londres.

São eles: Henry Siewierski, Tomasz Łychowski e o Padre Zdzisław Malczewski.

"O Prêmio de Literatura de 2016 é concedido a escritores que popularizam a cultura polaca no mundo. Nestes ano os escolhidos foram três escritores polacos que vivem no Brasil: Henry Siewierski, Thomasz Łychowski e Padre Zdzisław Malczewski", informou Dr. Alexander Boehm Ziółkowska-Wilmington nos Estados Unidos, representante do júri do Prêmio.

Professor Henryk Siewierski
Prof. Henryk Siewierski 
Escritor, poeta, professor e editor. Tem uma pós-graduação pela Universidade Iaguielônica de Cracóvia.
No período 1981-1985 lecionou língua e cultura polaca na Universidade de Lisboa.
Em 1985, foi nomeado professor de literatura na Universidade de Brasília e diretor da editora da universidade (Editora UNB).
Ele criou nesta universidade a cátedra Cyprian Norwid, cuja missão é promover a literatura e cultura polaca no Brasil. Ao publicar ensaios sobre escritores poloneses e poetas.

O prof. Siewierski escreveu cerca de uma centena de artigos e ensaios sobre literatura, principalmente na língua portuguesa, que foram publicados em revistas literárias e eventos culturais no Brasil e em outros países.
Ele é autor de muitos livros, entre eles, "Spotkanie narodów (Encontro de Nações)", Paris, 1984; "Jak dostałem Brazylię w prezencie (Como recebi o Brasil como um presente)", Cracóvia, 1998; "História da literatura Polaca" (Brasília, 2000), "Raj nie do utracenia. Amazońskie silva rerum (Paraíso para não se perder. Coisas da Selva Amazônica)", Cracóvia, 2006; "Outra língua. Poemas", "Livro do rio Máximo de Padre João Daniel(São Paulo, 2012); "Architektura słowa i inne szkice o Norwidzie" (Arquitetura de palavras, e outros esboços sobre Norwid", Cracóvia, 2012. Lançou recentemente "Szkice brazylijskie" (Sketches brasileiros)",Varsóvia, 2016.

O júri no anúncio do prêmio sublinhou o talento de Siewierski na tradução dizendo que ele é um excelente tradutor das obras de escritores e poetas polacos para o idioma português.
Traduziu, entre outros, "Sanatorium pod klepsydrą (Sanatório sob Ampulheta)" e "Sklepy cynamonowe (Mercado de canela)" de Bruno Schulz (Rio de Janeiro 1994, 1996), a prosa de Andrzej Szczypiorski e também "Pannę Nikt (Senhorita Ninguém)" de Tomasz Tryzna, "Świat opery żebraczej" (O mundo do mendigo da ópera esmola)" de Bronisław Geremek e poemas de Cyprian Norwid, Tadeusz Rozewicz, Czesław Miłosz, Zbigniew Herbert, Wisława Szymborska. Para a língua polaca traduziu, entre outros, versos de Fernando Pessoa.

Tomasz Łychowski
Tomasz Łychowski
Poeta, tradutor, professor, pintor. Nasceu na Angola ainda sob domínio português, na cidade de Nova Lisboa.
Em 1938, foi com seus pais para a Polônia. Quando irrompeu a segunda guerra mundial, seus pais se juntaram aos conspiradores.
Em agosto de 1942, a Gestapo nazista deteve 200 homens da Armia Krajowa (Exército do Povo) em Pawiak, incluindo Tadeusz e Gertrude Łychowski e o menino Tomasz de 8 anos de idade.
Atualmente, Tomasz Łychowski é provavelmente o mais jovem ex-prisioneiro de Pawiak ainda vivo.
O pai Tadeusz Łychowski, foi deportado para Auschwitz.
Em 1949, Tomasz com a idade de 14, mudou-se com seus pais para o Brasil. Terminou seus estudos em Inglês em um departamento da universidade britânica de Cambridge e na Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Trabalhou no ensino superior, trabalhou em programas de ensino. Colaborou com a revista "Aproximações (Zbliżenia), publicada no Brasil pela prof. Henry Siewierski. Também escreveu cartas para a comunidade polaca do jornal "Lud (Povo)" de Curitiba, Brasil e para a "Głos Polski (Voz do polaco)", de Buenos Aires, Argentina.

As grandes paixões de Tomasz Łychowski são a poesia e a pintura. Ele pinta, principalmente, paisagens. Publicou livros de poemas em português, Inglês e polaco, entre outros: "Glimpses (Olhares)", de 1996; "Voices (Vozes)", de 1998; "Brisas", de 2000; "Graniczne progi (Os limiares de fronteiras)"; "Encontros" (Spotkania) de 2006; "Skrzydła (Asas)" de 2008 e o mais recente “Recomeço” de 2014.

Em 2010, apareceu, em Varsóvia, volume autobiográfico do prosador "Moja droga na księżyc” (Meu caminho para a lua)"

Łychowski é o autor das traduções de poesias de Julia Hartwig, Ryszard Krynicki e Ewa Lipska para a publicação da Academia Brasileira de Letras. Para a revista "Polonicus" de Curitiba traduziu poemas selecionados de Karol Wojtyła.

Padre Zdzisław Malczewski
Padre Zdzisław Malczewski
Nasceu em Nowe Brzesko, próximo de Cracóvia. Em 1969, ingressou na Sociedade de Cristo para Polacos no Exterior. Depois de estudar filosofia e teologia no Seminário Maior da Sociedade de Cristo em Poznań, foi ordenado padre em 11 de maio de 1976. Fez mestrado em teologia na Universidade Católica de Lublin, doutorado em ciências humanas - na Universidade Adam Mickiewicz em Poznań.

Em 1979, chegou no Brasil para cumprir missão de sua Congregação. Foi enviado para a paróquia Santa Ana, na cidade de Carlos Gomes, no Rio Grande do Sul. Foi pároco em Ijuí (RS) e Rio de Janeiro (RJ), e provincial da Sociedade de Cristo na América do Sul e também pároco em Curitiba.

Padre Zdzisław Malczewski, participa na vida da comunidade polaca na América Latina de forma intensa.

Ele também está envolvido no trabalho da USOPAL - União das Associações e Organizações Polacas da América Latina. Em junho de 2009, foi nomeado Reitor da Missão Católica Polaca no Brasil.
Já como reitor, começou em julho de 2009, a publicação do boletim "Echo Polskiej Misji Katolickiej w Brazylii (Ecos da Missão Católica no Brasil)", que é publicado a cada dois meses, e atualmente é a única publicação em língua polaca, no Brasil.

Entre os anos 1999 a 2009 foi editor da revista de estudos polaco-brasileiros "Projeções", publicada em português, em Curitiba, assim como o iniciador e fundador do livro-revista "Polonicus" editado semestralmente, e que é uma espécie de ponte entre as culturas polaca e brasileira. A revista é distribuída para universidades brasileiras e centros culturais.

O padre Malczewski é correspondente internacional da Rádio Vaticano, bem como o autor dos livros: "A presença dos polacos e da comunidade polaca no Rio de Janeiro" (Lublin 1995), "Dicionário Biográfico de polacos e brasileiros descendentes de polacos" (Varsóvia, 2000), "Autoimagem da Polônia brasileira. Cartas dos Emigrantes, 1979-2006", (Curitiba, 2007).

Prêmio Literatura 2016
A atribuição do Prêmio de Literatura da Associação de Escritores Polacos no Exilio é dada por júri composto por: Andrzej Krzeczunowicz, presidente ZPPnO; prof. Beata Dorosz, IBL PAN; Padre prof. Janusz Ihnatowicz, Houston, Estados Unidos; Padre prof. Bonifacy Miązek, Viena, Áustria; Dra. Nina Taylor-Terlecka, Oxford; Dr. Aleksandra Ziółkowska-Boehm, Wilmington, Estados Unidos.

A cerimônia de premiação e encontro com os vencedores será realizado em Londres na primavera de 2017.

Fonte (PAP), abe/ mow/ – portal dzieje.pl
Postar um comentário