sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Lublin em pé de guerra


Revolta na Polônia. Empresários de Lublin reclamam que o governo central não constróe as estradas, que foram elaboradas a região pobre do Leste do país. Novamente é favorecido a rica região Oeste. Nesta região ocidental, mais próxima da Alemanha e o resto da União Européia o ritmo de construção da autoestrada A é acelerado.
Lublin procura impacientemente pelo grande investimento em estradas, do qual 350 mil estariam destinados a ligar Lublin, a maior cidade à leste do rio Vístula com o Ocidente e a Ucrânia, sede conjunta da Euro2012 com a Polônia. De acordo com muitas promessas, incluindo o governo, este centro acadêmico vibrante com uma encantadora cidade velha era para ser conectado a partir de Varsóvia com Białystok e Rzeszów. Por Lublin deverá passar uma verdadeira multidão de fãs do futebol com destino a Kiev e Lwów, as duas principais sedes ucranianos do campeonato europeu de seleções 2012.
Infelizmente, esses planos parecem bons apenas no papel. Os empresários locais alarmam que a autoestrada ligando Lublin com a rica Europa e a imensidão do Oriente é grande chance da região se desenvolver. "Parte do investimento foi adiado para mais tarde. E ele é a chave é para nossa via expressa até Varsóvia", reclama Maciej Maniecki, o presidente do Conselho de Empresários de Lublin.
Maniecki adverte que, sem boas estradas não há nenhuma possibilidade de novos empregos e salto de civilização ocidental na região. As estradas também irão ajudar a atrair investimentos também da e para a Ucrânia.
Os empresários lubelskis reclamam que o governo favorece apenas o Oeste da Polônia. O programa de autoestradas, ligando Gdańsk, Wrocław, Varsóvia e Poznań não parece querer contemplar a ligação da União Européia com a Europa do Leste e o Oriente distante.
Com a situação neste momento mais do que grave, em virtude dos prazos para início da Eurocopa, os empresários de Lublin enviaram outra carta ao ministro da Infraestrutura e estão fazendo lobby junto aos deputados locais. O advogado-geral da Direção Nacional de Estradas e autoestradas Martin Hadaj não ter uma boa notícia para os empresários: "Agora, toda a energia da nossa administração é direcionada para preparar as rodovias e estradas essenciais para o Euro. Lublin não está lá contemplada."

P.S. embora Lublin seja conservadora e portanto não vote normalmente com o governo de Donald Tusk, a verdade politica e administrativa é cega. A Euro2012 não vai acontecer apenas nas 4 cidades do Oeste-Norte Polaco, mas também na Ucrânia. Aliás os investimentos todos da União Européia e da UEFA é no sentido de atrair a Ucrânia e deixá-la sem acesso, só porque os deputados de Lublin não votam com o partido do primeiro-ministro Tusk é no mínimo ignorãncia, para não dizer outra coisa. Penalizam o Leste do país só porque faz fronteira com o Oriente ucraniano-russo.
Postar um comentário