quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Voltando a terra do meu avô polaco

Detalhe da janela da casa de troncos em Wojcieszków - Polônia
Sai de Cracóvia às 7:11 da manhã... Vim por estradas alternativas, queria ver de novo a terra polaca por dentro, ou fora... das cidades importantes... Passei por centenas de lugarejos... Quando cheguei a Sandomierz, na margem esquerda do rio Vístula, estava chovendo. 
 Mas nada que me impedisse de andar pela cidadezinha mais linda da Polônia. Coloquei-me na estrada depois de uma hora... Cheguei a capital do Leste: Lublin... Estive filmando por mais de três horas no Skansen - Museu Étnico da Cidade... Uma maravilha. É um parque muito parecido com o Bosque do Papa de Curitiba, mas muito maior e com diferentes tipos de casas. 
Mas meu destino ainda estava a quilômetros de distância. Mais uma vez evitei a auto-estrada para Bialystok e enveredei pelas matas.. Melhor dizendo, pelos lugarejos que são a origem de muitos curitibanos, paranaenses, catarinenses e gaúchos. Daqui de Kock, Lubartów, Serokomla, Firlej, Kamionka, Samoklęski, Starościn, Krasienin, Hordziez, Bronisławów e Wojcieszków sairam muitos polacos e polacas... com uma sacola de roupa, entre 1907 e 1914. 
Wojcieszków fica entre Łuków e Kock
Entre estes milhares de emigrantes da região Lubelska (de Lublin) estavam meu bisavô Piotr Jarosiński, minha bisavó Anna Ognik Filip, meu avô Bolesław, tio-avô Józef e tias-avós Wiktoria e Maria. Finalmente cheguei... ainda deu tempo de caminhar pelas poucas ruas da cidade, fazer as primeiras fotos. 
Neste casa - hoje Centro de Cultura - meu bisavô Piotr fez seu passaporte russo em 1906
Esta é a igreja onde meus bisavós se casaram em 1900 e onde foram batizados seus filhos...
Escrevo estas linhas com muita emoção....desde o quarto do pequeno hotel da cidade...o único! 
Da janela, posso ver os campos em que certamente minha bisavó corria feliz...sem saber que um dia cruzaria os mares e acabaria por morrer aos 96 anos em Castro, no Paraná.
Postar um comentário