quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Mapa da morte na Polônia ocupada


Os campos de concentração, de extermínio e guetos na Polônia durante a segunda guerra mundial formavam um círculo da morte.
Os campos de extermínio com suas câmaras de gás e crematórios eram Chełmno (pronuncia-se relm no) próximo a cidade de Łódź (pronuncia-se úudji), Treblinka próximo a cidade de Siedlec (pronuncia-se chiédléts), Sobibór (pronuncia-se sóbibur) próximo a cidade de Włodawa (pronuncia-se vuodáva), Majdanek (pronuncia-se maidanék) dentro da cidade de Lublin, Bełżec (pronuncia-se béujéts) na cidade de Tomaszów Lubelski (pronuncia-se tomachuf lubelsqui), Płaszów (pronuncia-se puáchuf) na cidade de Cracóvia e Auschwitz-Birkenau nas cidades de Oświęcim (pronuncia-se ochvientchim) e Brzezinka (pronuncia-se bjejinca).
Na maior parte, os campos de extermínio também foram de concentração, mas em Zasław (pronuncia-se zássuaf), Stutthof na cidade de Gdańsk, Soldau na cidade de Działdowo (djiaudovo), Potulice na cidade de Nakło nad Notecią (pronuncia-se nácuo nad notetssion) e Gross-Rosen na cidade de Rogoźnica (rogójenitssa) (na Silésia polaca) eram apenas de concentração.
Os guetos foram criados nas cidades de Łódź, Wilno (hoje é capital da Lituânia), Varsóvia, Cracóvia, Lwów (pronuncia-se Lvuf) (hoje é cidade da Ucrânia) e Białystok (pronuncia-se biauistók).
Postar um comentário