quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Festa da Colheita na Colônia Murici

A tradicional Festa da Colheita da Colônia Murici acontece no próximo domingo (03) na Paróquia Sagrado Coração de Jesus. 
A festa é organizada pela comunidade da Colônia Murici, conta com o apoio da Prefeitura de São José dos Pinhais, e tem como principal objetivo agradecer a boa safra que foi obtida durante o ano, além de resgatar aspectos da cultura dos imigrantes polacos. 
Também é uma forma de homenagear os agricultores são-joseenses que neste dia enfeitam carroças e caminhões para participarem do desfile. É um dia especial para o município, com muito lazer e diversão, as famílias aproveitam o domingo com comida típica polaca, muita música e atrações. 
A festa vai contar com missa de abertura, os tradicionais desfiles de carroças enfeitadas, cavalgada e também com a exposição de produtos e maquinário agropecuário. 

Programação: 
09h30 – Santa Missa; 
09h45 – Cavalgada com saída da Chácara do Catapan (em frente a igreja do Cupim – Costeira do Cupim); 
10h45 – Desfile encenando o agradecimento a colheita: Mensagens das Capelinhas, Grupos folclóricos: Wawel, Cuore D'Itália e Alma Fandangueira, cavaleiros, carroças, tratores e caminhões; 
11h30 – Almoço: risoto, churrasco e costela fogo de chão (trazer pratos e talheres), e show musical com o trio Só Três e Nhô do Rodo e Zé da Enxada;
12h00 – Roleta com rodadas especiais de 12 prêmios com um boi no 1º prêmio; 14h00 – Bingo beneficente (1º prêmio: R$ 1.000,00 e dezenas de outros prêmios); 
16h00 – Apresentações folclóricas grupos: Wawel e Alma Fandangueira; 17h30 – Show de prêmios (1 moto 0 km, netbook, TV´s e bicicletas); 
18h00 – Show musical com Gustavo e Gabriel. 

A colônia Murici Situa-se a 10 Km do centro de São José dos Pinhais, ela surgiu na terceira etapa da colonização polaca no Paraná. 
Após a bem sucedida experiência com a colonização polaca em Curitiba, o governo da Província decidiu estender o processo ao município vizinho de São José dos Pinhais. 
Foram adquiridos 2.891 hectares, pois houve dificuldades de desapropriação, já que quase todos os terrenos ao redor de Curitiba eram propriedades particulares. Os problemas na hora da compra eram enormes, pois os títulos de propriedades eram muitos confusos e quase sempre aparecia mais de um proprietário reivindicando a posse. 
Esta área adquirida foi dividida em 4 colônias: Zacarias, Murici, Inspetor Carvalho e Coronel Accioly. A Colônia Murici foi criada, em abril de 1878, e compreendia os lotes entre os rios Miringuava e Pequeno e nela foram assentadas 20 famílias.
No dia 6 de junho de 1878, segundo registros da Paróquia de Murici, chegaram 60 colonos procedentes da Galícia (região de Gorlice, Malopolska e Podkarpacie) e Prússia (Região da Silésia).
Os novos imigrantes chegaram com o navio inglês Paschoal, em Paranaguá. Foram transladados para outro barco, no qual atracaram no Porto de Antonina, de onde vieram em carroças até o planalto curitibano.
A data de fundação da nova colônia foi fixada em 21 de setembro de 1878. A colônia Murici recebeu este nome em homenagem ao médico José Cândido da Silva Murici.
O primeiro batizado de um filho de polones, ocorreu no dia 3 de janeiro, com Francisco, filho de Wojciech Gottfried e Maria Muszynska. Foram padrinhos Wojciech Mikos e Anna Ciulis. O documento paroquial assinala que todos, exceto o pequeno Francisco, procediam da região da Silésia polaca (na época sob o jugo invasor dos alemães).
A colônia Murici de 876 hectares foi dividida em 72 lotes. Segundo levantamento de Edmund Wos Saporski, em 1893, a população da Colônia era de 240 imigrantes polacos, 82 filhos nascidos no Brasil e outras 57 pessoas de outras nacionalidades (brasileiros, italianos, ucranianos).
Devido às dificuldades, as casas foram construídas em mutirão, as paredes eram feitas com troncos de seis a nove metros de comprimento e, aproximadamente, cinquenta centímetros de diâmetro, encaixados uns nos outros pelas extremidades entalhadas.
Postar um comentário