terça-feira, 30 de julho de 2013

Polônia receberá jovens com coração aberto, diz Cardeal de Cracóvia

Da Redação, 
com Rádio Vaticano


Aguardamos ansiosos para fazer vigília com os sentinelas da manhã nas festividades em Cracóvia, disse o cardeal Stanisław Dziwisz.
Após o anúncio de que a próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) será em Cracóvia, na Polônia, em 2016, o cardeal arcebispo metropolitano da cidade, Dom Stanislaw Dziwisz, afirmou que receber o evento será uma "honra e grande responsabilidade".
O cardeal recordou que o encontro mundial acontecerá no mesmo ano em que será celebrado o 1050° ano do Batismo da Polônia. E disse se alegrar pelo Papa Francisco ter aceito o convite das autoridades e do episcopado polaco para realizar a jornada do país. "Com isto, ele respondeu ao desejo de tantos jovens que há tempo desejam celebrar sua fé no país e na cidade de Karol Wojtyła".

Leia a nota na íntegra:
 “Recebi com grande alegria a mensagem anunciada pelo Papa Francisco de que a próxima Jornada Mundial da Juventude será realizada na Polônia no ano 2016. É uma alegria, uma honra e grande responsabilidade para nós. Será no mesmo ano em que celebraremos o 1050° ano do Batismo da Polônia. Com toda a Igreja na Polônia, eu me alegro porque o Papa Francisco aceitou o convite a ele dirigido pelas autoridades da República da Polônia e o Episcopado Polaco.
Com isto, ele respondeu ao desejo de tantos jovens que há tempo desejam celebrar sua fé no país e na cidade de Karol Wojtyła, ele que desde a cidade de Cracóvia partiu em outubro de 1978 para a Cidade Eterna, e quem como João Paulo II, Bispo de Roma, instituiu as Jornadas Mundiais da Juventude.
Dentre as diversas iniciativas pastorais de João Paulo II, as Jornadas Mundiais da Juventude sem dúvida têm sido de grande sucesso, abrangentes e frutuosas.
O Santo Padre, desde o começo, viu nos jovens "sentinelas da manhã" (cf. Isaías 21, 11-12), fazendo vigília ao amanhecer do Terceiro Milênio (Tor Vergata, 19 de agosto de 2000).
Hoje, a Polônia e Cracóvia abrem seus corações, para que daqui a três anos possam acolher os jovens peregrinos sob a liderança do Papa Francisco.
Nós estamos gratos ao Papa por sua decisão de visitar o país do Beato (que em pouco será Santo) João Paulo II, e aguardamos ansiosos para fazer vigília com os "sentinelas da manhã" nas festividades em Cracóvia.
Santo Padre Francisco, aguardamos ansiosos e com alegria a sua vinda e a chegada de nossos jovens amigos”. Cardeal Stanisław Dziwisz, Arcebispo Metropolitano de Cracóvia.

Stanisław Dziwisz foi o secretário pessoal de Karol Wojtyła durante todo o pontificado do cardeal de Cracóvia e Papa João Paulo II. Serviu como secretário ao Beato João Paulo II de 1966 até 2005. Após a morte de seu superior, o cardeal Dziwisz foi nomeado pelo Papa Bento XVI, em 2006, para o lugar de onde saiu Wojtyła para ser o Bispo de Roma e principal líder de todos os católicos apostólicos romanos do mundo inteiro.  Foi para Dziwisz que o Papa João Paulo II ditou seu testamento.

Dziwisz nasceu em 27 de abril de 1939 (74 anos), na gmina (Distrito) de Raba Wyżna. Doutor em teologia pela Universidade Católica de Lublin, em 1981.
Seu livro Świadectwo, de 2007, (Testemunho), descrevendo as memórias da vida e obra de João Paulo II, virou um filme longa metragem que estreou simultaneamente na Polônia e na Itália em 2008.
Por decreto do presidente da Polônia Aleksander Kwaśniewski de 10 de Outubro 2003 e em reconhecimento à sua notável contribuição para o desenvolvimento da cooperação entre a República da Polônia e a Santa Sé foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem de Polonia Restituta
Ele recebeu a Ordem da Libertação de San Martin em 1998 da Argentina; a Grã-Cruz de Isabel a Católica, em 1999, na Espanha); a Grã-Cruz da Ordem do Mérito da República Italiana, em 2000, da Itália); a Grã-Cruz da Ordem de Mérito, em 2008, de Portugal, o grande emblema de Ouro de Honra ao Mérito com a fita da República da Áustria, em 2009,  e a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito, em 2010, da Columbia. Em 2009, a Câmara de Cracóvia, deu-lhe o título de cidadão honorário da cidade pelo cuidado pastoral em Cracóvia, bem como no atendimento do legado de João Paulo II .
Além disso, concederam-lhe a cidadania honorária da cidade, Wadowice (2001) [46], Pelpin (2006), Nowy Targ (2006), Mszany (2007) [49], Opoczna (2007) [50], Miedzyrzec Podlaski (2010), e Buenos Aires, na Argentina (2009).  Dziwisz tem o mesmo nome do pai e é filho de Zofia Bielarczyk.
Postar um comentário