sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Guia de Cracóvia do Wall Street Journal

Um Guia Rápido dos "hits" de Cracóvia
- George Semler

Cinco coisas únicas e às vezes poética, que você pode fazer em torno do centro cultural da Polônia e em nenhum outro lugar.

A ex-Capital da Polônia e coração perene artístico e intelectual inspirou figuras tão diversas como Nicolau Copérnico, o Papa João Paulo II e ganhador do Prêmio Nobel, a poeta Wisława Szymborska.
Moradia da antiga Universidade Iaguielônica, do Castelo Wawel e da maior praça medieval da Europa, o Rynek Główny, Kraków produz 120 festivais culturais por ano, incluindo a Sacrum Profanum,  festival de música contemporânea, que chega em setembro próximo. Aqui está um punhado de coisas imperdíveis e em torno desta cidade histórica.

1- Confira os instrumentos de Copérnico. Em Cracóvia, o estudioso Mikołaj Koperniko propôs pela primeira vez que o Sol, e não a Terra, era o centro do sistema solar.
A Universidade Iaguielônica publicou seu "Sobre as Revoluções das Esferas Celestes", em 1543 (apesar de ter demorado um século para seus achados ganhar aceitação). A visita ao museu da universidade mostra o astrolábio, um dispositivo do astrônomo usado para medir as posições das estrelas e outros tesouros. Fica na ulica Jagiellonska 15, maius.uj.edu.pl

2 - Conheça um herói polaco da Guerra Revolucionária Americana. Uma caminhada de 30 minutos até o Kopiec Kościuszki, ou Morro Bendito de Bronisław, com vista para o Rio Vístula, está o túmulo memorial de Tadeusz Kościuszko, um engenheiro militar que lutou na primeira guerra da América.
Pós-graduado nas escolas militares polacas e francesas, Kościuszko foi recrutado por Benjamin Franklin, em 1776, e subiu ao posto de general de brigada. Thomas Jefferson o chamou de "o mais puro filho de liberdade que eu já conheci."
Nos EUA, nove monumentos e duas pontes são consagrados ao herói da Polônia na Guerra Revolucionária Americana. Aleja Waszyngtona 1, kopieckosciuszki.pl

3 - Formigueiro dentro da cabeça de uma pessoa. Quando o escultor polaco Igor Mitoraj doou "Eros Bendato",  sua enorme criação em bronze, a Cracóvia em 2005, ele decretou que ela tinha que ser colocado no Rynek.
Apesar dos protestos de historiadores e críticos de arte, as autoridades municipais concordaram, em instalá-lo como uma exposição temporária.
O problema é que "Eros" fez sucesso: Crianças gostam de entrar e sair do crânio cavernoso, enquanto os casais amorosos são surpreendidos lá dentro durante a madrugada. "Eros" parece estar aqui para ficar. Está localizado no canto sudoeste da praça principal da cidade.

4 - Telefone da poeta ganhadora do Prêmio Nobel. Wisława Szymborska, que morreu em fevereiro de 2012, acreditava que as gavetas estavam entre as melhores invenções do mundo. Pois estão sempre cheias de itens que dizem muito sobre humor peculiar do seu proprietário e imaginação. Este ano a "Gaveta Szymborska" está aberta, exibindo uma coleção de quinquilharias da poeta, como colagens, cartões postais, móveis, livros e fotografias peculiares. Um vídeo de sua história de vida e um telefone com 10 números para discagem onde se pode ouvir leituras de Szymborska completam a exposição, prevista para encerrar no final do próximo ano. Dom Szołayski, plac Szczepanski 9, muzeum.krakow.pl 


5 - Explore uma igreja feita de sal. A Mina de Sal de Wieliczka, que se estende por mais de 1.000 metros abaixo da superfície, estava em operação desde o século 13 até 1996. Ela é agora um museu. Paredes, escadas e lustres na capela de Santa Kinga são feitas de sal. Durante o festival de páscoa de música antiga, Misteria Paschalia, concertos são realizados aqui. Na ulica Daniłowicza 10, wieliczka-saltmine.com

6 - Veja a fábrica de Schindler. Fábrica de esmaltados de Oskar Schindler, no coração do gueto onde a comunidade judaica de Cracóvia foi confinada em 1941, foi imortalizada, no filme de 1993, de Steven Spielberg "A Lista de Schindler".
O local agora abriga o Museu de Arte Contemporânea de Cracóvia, um prédio ondulando projetado pelo arquiteto italiano Claudio Nardi. A casa dos escritórios adjacente a Oskar Schindler narra a situação dos judeus de Cracóvia durante a ocupação. MOCAK: ulica Lipowa 4, mocak.com.pl, Oskar Schindler: Lipowa 4, mhk.pl
Postar um comentário