sábado, 18 de outubro de 2014

O maior diretor de filmes publicitários do Brasil é um polaco

Andrzej Bukowiński
Dono de 25 Leões do Festival Internacional de Filmes Publicitários de Cannes/Veneza e 12 vezes premiado com a estatueta Profissionais do Ano, Andrés Bukowinski tem sua trajetória detalhada no livro Andrés, uma vida em mais de 3 mil filmes, que está sendo lançado pelo Grupo 5W no dia 7 de novembro, durante programação da Feira do Livro de Porto Alegre. "Ter minha biografia publicada dá uma agradável sensação de continuidade, de preservação de uma história. Espero que, ao chegar ao fim do livro, o leitor pense: que legal é esse cara", brinca Andrés, que nasceu na Polônia em 1940, iniciou sua vida profissional na Argentina e há quarenta anos mora no Brasil, onde exerce ininterruptamente o seu ofício, realizando mais de 3 mil filmes publicitários.

Sobre o livro
Escrito pela também polaca Aleksandra Pluta, e originalmente publicada em polaco, a narrativa do livro é polifônica e entremeia-se de relatos de Andrés Bukowinski e dos que lhe são mais próximos, assim como conhecidos, colaboradores, e aqueles como quem cruzou em diferentes cantos do mundo nas mais distintas épocas. Entre eles, Washington Olivetto, chairman da WMcCann, amigo e parceiro profissional, com quem realizou 1100 filmes. É Olivetto, inclusive, quem assina o prefácio:
"As circunstâncias atípicas de sua vida produziram um curioso personagem autodidata e 'audiodidata'. Aliás, as palavras 'produziram' e 'personagem' fazem parte do universo que ele domina como ninguém: o universo cinematográfico. Falar muitas línguas e não saber escrever em nenhuma delas nunca foi vantagem nem desvantagem para Andrés, que sempre falou e escreveu com imagens e sons — simples, sintéticos e gramaticalmente impecáveis."

Sua história de vida daria um longa-metragem repleto de ingredientes dramáticos e de superação. Uma primeira infância difícil na Polônia em guerra, o pai que esteve ausente por muitos anos (era piloto da Royal Air Force), a morte precoce da mãe, a fuga para a Inglaterra, o difícil recomeço na Argentina e a adoção pelo Brasil na década de 1970.
Porém, assim como infortúnios, Andrés também teve sorte em sua trajetória, como confessa em um de seus depoimentos.
Entre seus principais sucessos está Hitler, filme publicitário criado pela então W/Brasil e realizado para a Folha de São Paulo. A revista inglesa Shots incluiu-o no grupo dos 40 melhores filmes do século passado e, no livro The 100 Best TV Commercials and Why They Worked (Os cem melhores comerciais de TV e por que eles deram certo), de Bernice Kanner, ele figura na lista dos 100 melhores filmes publicitários de todos os tempos.
Em seu portfólio, destacam-se ainda os inesquecíveis comerciais do extinto Bamerindus (que dirigiu durante 23 anos) e os clássicos da Bombril, que foram ao ar durante 33 anos com Carlos Moreno como "garoto-propaganda".
Em 1994, aliás, a campanha da Bombril foi parar no Guinness World Records como a mais longa campanha de publicidade do mundo.
"Gosto dos filmes que dirigi, gosto de voltar a eles anos depois. E por isso, lá se vão 50 anos exercendo esta profissão, e meu trabalho ainda não me cansou. Penso com entusiasmo nos filmes a realizar", relata Andrés.

Sobre a autora
Aleksandra Pluta nasceu na Polônia em 1984. Escritora, jornalista, tradutora. Graduada em Comunicação Pública, da cultura e das artes pela Università degli studi di Ferrara, Itália, mestre em Jornalismo pela Università La Sapienza em Roma, com pós-graduação em Protocolo Diplomático pela Pontificia Universidad Católica de Chile.
Autora dos livros: "Na onda da história. Memórias dos polacos no Chile" (2009) e "Raul Nałęcz – Małachowski. Memórias de dois continentes" (2012).
Morou na Itália, no Chile, na Inglaterra e agora mora no Brasil. Andrés, uma vida em mais de 3 mil filmes - A incrível história do menino polaco que se transformou no maior diretor de cinema publicitário do Brasil
Postar um comentário