terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Livro valioso da coroação da rei Edwirges da Polônia


"Não vou continuar a escrever, porque não me pagaram", - observou o secretário da crônica medieval. Até 30 de Dezembro, no Museu da Arquidiocese do Wawel, é possível ver gratuitamente valiosos livros, de valor incalculável pertencentes aos arquivos da Catedral de Wawel, em Cracóvia, que acabaram de passar por um processo de manutenção e restauro.
Entre eles estão, livros dos séculos XIV e XV que registraram a cerimônia de coroação pontifical da rei Jadwiga (Edvirges) e Władysław Jagiełło. Arquivo de Cracóvia no Capítulo Catedral de Wawel detém a chave para a história da Igreja polaca e livros muito antigos.

A primeira lista de incunábulos é do ano de 1111. São livros medievais da primeira biblioteca capitular criada no Wawel. Muitos deles sobreviveram até hoje.
O mais valioso passou por manutenção e pode ser admirado até o final do ano no Museu Arquidiocesano do Castelo.

O que ver no exposição?

- A Obra-prima do século XIV do iluminismo medieval - o pontifical da "Ceremoniale et Pontificale Episcoporum". O códice em pergaminho é encadernado em couro vermelho e placas, contados nove iniciais ornamentais e centenas de outras menores, feitas de duas cores: vermelho e azul.
O livro contém orações, cerimônias e rituais celebrados pelo bispo. Ele foi o mestre de cerimônia na coroação da rei Jadwiga e Władysław Jagiełło, na Catedral de Wawel.

- Livro do século XV que pertenceu ao bispo Zbigniew Oleśnicki - pontifical "Pontificale Episcopi Sbignei". Livro da cerimônia de coroação de Kazimierz Jagiellończyki de 1447. Contém 70 iniciais em miniatura, de alguma forma o bispo, provavelmente retratou, também o brasão de armas Dębno (dos Oleśnicki). O livro possui uma capa que foi criação mais tarde, datada do século XVI, com os brasões de armas do Bispo Tomicki.

- Incunabulos - a maioria estava na Alemanha (Nuremberg, Colônia, Speyer), mas existem livros também procedentes de Strasburgo, Basileia e Veneza. Entre eles - o mais valioso, que é o mais antigo incunábulo polaco. "Opus restitutionum" de Franciszek Platea i "Opuscula" de Santo Agostinho, gravado em Cracóvia por Kasper Straube.
Do catálogo central de incunábulos das bibliotecas polacas só a Biblioteca no Wawel existem 24 deles.
A impressão de Jan Lapid do "Resolutorium" é uma das duas ainda existentes em todo o mundo.


- de Henryk de Susa está "Summa grande titulis Decretalium" de 1478. Este livro é uma obra do famoso decretalista, o Cardeal Henrik de Susa (1200-1271, chamado de Hostiensis), era professor de Direito em Bolonha e Paris. O trabalho, conhecido como "Summa aurea" foi escrito em 1253. E ele mesmo - mais tarde imprimiu - este incunabulo que é o texto de uma palestra dele com uma síntese do direito canônico e do direito civil de Roma.
A cópia do texto foi tirada pelo brilhante Jan Stanko em 1488. Este doutor em medicina e botânica, médico real e canône de Cracóvia. - 30 volumes de manuscritos que compõem a coleção mais antiga e mais importante dos arquivos armazenados nos arquivos da Cúria Metropolitana da Ulica (rua) Franciszkańskiej, n. 3

- Arquivos da Officialia e Episcopalia Arquidiocese de Cracóvia (a partir do século XV ao século XVIII). 625 volumes Coleção Acta da Officialia e Episcopalia, compõe-se de 625 volumes de uma coleção de livros manuscritos (cada um com aproximadamente 600-800 páginas), apresenta fatos importantes para a história das paróquias em toda a metrópole de Cracóvia e da Comunidade Polaco-Lituana.

É um testamento dos momentos em que a dignidade dos Bispos de Cracóvia eram relevantes tais como as personas de: Wojciech Jastrzebiec (1412-1423) - Arcebispo de Gniezno depois, Primaz da Polônia e da Lituânia; Zbigniew Oleśnicki (1423-1455) - o primeiro cardeal polaco; James de Sienna (1461-1463) - Arcebispo de Gniezno depois, primaz da Polônia e Lituânia; de Frederick Jagiello (1488-1503) - Cardeal, e desde 1493 arcebispo de Gniezno, ao mesmo tempo, primaz da Polônia e da Lituânia; Piotr Gamrat (1538-1545) - a partir de 1541 arcebispo de Gniezno, e ao mesmo tempo, o primaz da Polônia e da Lituânia; Andrzej Zebrzydowski (1551-1560); Jerzy Radziwill (1591-1600) - Cardeal; Bernard Maciejowski (1600-1605) - Arcebispo de Gniezno e depois, primaz da Lituânia, Cardeal; Jan Albert Vasa (1632-1634) - Cardeal; Kajetan Sołtyk (1759-1788).

Transcrições
Neste contexto, a Episcopalia Officialia de Cracóvia é um arquivo com textos originais, fundamentais para a compreensão da história da aristocracia polaca. Ele consiste em uma completa coleção de "rascunhos" (notas) e "czystopisy" (textos prescritos e "suavizados" pelo Secretário) de livros em impressões únicas. Pesquisadores e historiadores podem comparar duas formas de apresentar fatos históricos, observando-se um evento específico conforme a criação de um cronista, um secretário, ou um escriba. Nestes manuscritos estão também os comentários pessoais originais com testemunhos, emoções de funcionários episcopais, como por exemplo do Secretário do texto, que interrompe de repente uma das crônicas com a frase: ".. Não vou continuar a escrever, porque não me pagaram".


P.S. Incunábulo é um livro impresso nos primeiros tempos da imprensa com tipos móveis. A popularização da imprensa começa a ser mais conhecida em 1450, com Gutenberg. Refere-se às obras impressas entre 1455, data aproximada da publicação da Bíblia de Gutenberg, até 1500. Essas obras imitavam os manuscritos. Assim, demorou-se 50 anos para que o livro impresso passasse a ter suas próprias características, abandonando, paulatinamente, as características do livro manuscrito. A sua origem vem da expressão latina "in cuna" (no berço), referindo-se assim ao berço da tipografia.
Postar um comentário