quinta-feira, 19 de maio de 2016

Cientistas polacos criam vacina contra diabetes 1

Cientistas de Gdańsk desenvolveram uma terapia que ajuda a impedir o desenvolvimento de diabetes tipo 1. Esta é uma descoberta excelente!
dr hab. Natalia Marek-Trzonkowska, Prof. Piotr Trzonkowski e Profa. Małgorzata Myśliwiec
Não só é um inovador regulador de células-T como terapia, desenvolvida por cientistas da Universidade de Medicina de Gdańsk (Gdański Uniwersytet Medyczny, GUMed) para prolongar o período de remissão em pacientes com diabetes tipo 1, como também ajuda a evitar complicações perigosas ligadas a visão ou aos rins.

O sucesso dos cientistas Gdańsk já está demonstrado pela saúde das 30 crianças que participaram da experiência médica deles com duração de três anos. Hoje, alguns dos pacientes não precisam tomar insulina, enquanto outros passaram a tomar doses muito menores.

São de pacientes jovens que se está falando, e de como o diabetes tipo 1 afeta principalmente as crianças. A doença se desenvolve mais frequentemente em crianças e envolve a destruição progressiva das células que produzem insulina.
O corpo perde a capacidade de produzí-lo, e os pacientes têm de tomar o hormônio através de injeções. Caso contrário, correm o risco de morte.
O diabetes tipo 1 se desenvolve como resultado de um processo auto-imune crônico, e é isso que a terapia inventada em Gdańsk foi projetada para impedir.

Universidade de Medicina de Gdańsk / Gdański Uniwersytet Medyczny - GUMed
Os pesquisadores por trás da descoberta da terapia inovadora - os imunologistas Prof. Piotr Trzonkowski, dr hab. Natalia Marek-Trzonkowska, bem como diabetologista e pediatra Profa. Małgorzata Myśliwiec - chamaram seu projeto de "Szczepionka Tregs" (Vacina para células T reguladoras) e os meios de comunicação apelidaram de uma "vacina para o diabetes".

De fato, a terapia funciona como um transplante autólogo e utiliza as células do próprio organismo para evitar a doença. "Nós tiramos 250 ml de sangue da criança e separamos aproximadamente 1000 células T reguladoras, as que regulam o processo de resposta imunológica para outras células do mesmo sistema. Em seguida, multiplicamos por várias centenas de milhões e após duas semanas implantamos de volta no corpo, o que acaba por retardar ou impedir a autodestruição das ilhotas pancreáticas", Krzysztof Chlebus, PhD, representante da reitoria GUMed para o setor de inovações.

Krzysztof Chlebus / ex-vice Ministro da Saúde
Esta é a primeira solução de tal tipo no mundo, no entanto, está dirigido a um grupo restrito de pacientes. "O projeto é direcionado a um grupo especial de pacientes com diabetes tipo 1 - aqueles que pesam mais de 30 kg. À medida que a doença se desenvolve, principalmente, em crianças, concentramo-nos em sua primeira fase, de forma otimizada nos primeiros meses, o grupo se reduz a 8, crianças de 9 anos, no mínimo", especifica o Dr. Chlebus. De acordo com dados epidemiológicos, há entre 250 e 400 pacientes assim na Polônia, e cerca de 1000 pacientes jovens com diabetes tipo 1, no total.

Até agora, o estudo tem sido apenas uma experiência médica. Os cientistas estão solicitando financiamento do Fundo Nacional de Saúde, com a meta de continuar a investigação e o tratamento das crianças. Os cientistas precisam de um novo laboratório e pelo menos vários leitos clínicos.

"Estamos trabalhando em uma nova fórmula que nos permita comercializar o empreendimento. Estamos solicitando bolsas, buscando investidores interessados ​​em cooperar a longo prazo, cujo envolvimento tornaria possível aproveitar os subsídios do Centro Nacional de Investigação e Desenvolvimento ", explica o Dr. Chlebus.

Texto: Karolina Kowalska
Portal: Poland.pl do Ministério de Relações Exteriores da Polônia
Tradução: Ulisses Iarochinski
Postar um comentário