quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Polański em Cracóvia para um documentário

O cineasta voltou para a Polônia para gravar um documentário sobre sua vida.

A volta acontece pela primeira vez desde que o Tribunal Superior Nacional do país rejeitou pedido de extradição feito pelos Estados Unidos, ano passado.
Polanski não tem tido sossego em sua vida,  desde que saiu do país na década de 1970, após um tribunal estadunidense o condenar por ter tido relações sexuais com uma menina de 13 anos.

O filme, com o título provisório de "Polanski, Horowitz", mostrará sua infância e juventude, em Cracóvia, durante a Segunda Guerra Mundial.

O trabalho se fixará em sua relação como o amigo de longa data, o fotógrafo Ryszard Horowitz.
O diretor polaco-francês tinha 9 anos quando conheceu Horowitz, de 3 anos, em no gueto da cidade.
Horowitz, agora com 78 anos, é um dos sobreviventes do Holocausto, e sua história foi contada por Steven Spielberg no filme vencedor do Oscar "A Lista de Schindler" (totalmente filmado em Cracóvia, nos mesmos locais originais da história).

Os dois visitarão locais, como a vila perto de Cracóvia onde Polanski se escondeu dos nazistas, depois de fugir do gueto, assim como o apartamento onde Horowitz revelou as suas primeiras fotografias.
"Para nós, é uma grande responsabilidade", disse a produtora Anna Kokoszka-Romer. "As nossas personagens principais confiaram-nos as suas incríveis memórias pessoais. Têm tantas histórias para contar, por vezes é difícil acompanhar tudo isso”, completou.

A filmagem trouxe "péssimas memórias" para Polanski, disse a KRK Film em comunicado à imprensa, citando o cineasta de 84 anos, durante uma visita ao local onde ficava o gueto de Podgórze: "O maior sofrimento foi ter que viver sem meus pais. Primeiro, eles levaram minha mãe do gueto, depois meu pai", disse o cineasta.


Postar um comentário