segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Morre o mais velho prisioneiro de Auschwitz


Morreu o mais velho ex-prisioneiro do Campo de Concentração e Extermínio alemão de Auschwitz - Birkenau, nas cidades Oświęcin e Brzezinka.

Antoni Dobrowolski trabalhava como professor de língua polaca quando foi preso pela Gestapo e enviado a Auschwitz em 1942. Ele foi detido por lecionar clandestinamente. Dobrowolski, o mais velho ex-prisioneiro do campo de concentração de Auschwitz de que se tinha notícia, morreu neste domingo (21) aos 108 anos.
Ele morava em Debno, no noroeste da Polônia.
A notícia da morte Dobrowolski foi divulgada nesta segunda-feira (22) por dr Adam Cyra, historiador do Museu de Auschwitz-Birkenau.
Dobrowolski trabalhava como professor quando foi preso pela Gestapo e enviado a Auschwitz em 1942.
Depois da invasão da Polônia pelos nazistas, em setembro de 1939, o regime de Adolf Hitler limitou a educação local a quatro anos de ensino fundamental, em uma tentativa de suprimir a cultura e a identidade polacas.
 Posteriormente, Dobrowolski foi transferido para os campos de concentração de Gross-Rosen e Sachsenhausen, do qual foi libertado em 1945.
 Calcula-se que os nazistas tenham matado pelo menos 1,5 milhão de pessoas, entre eles prisioneiros, católicos, protestantes, judeus e ciganos além de soldados e intelectualidade polaca,  somente no complexo de Auschwitz. Antoni era católico apostólico romano. A seguir entrevista (em idioma polaco) de TV polaca quando Antoni fez 105 anos.

 
Postar um comentário